quarta-feira, dezembro 30, 2015

Colecção RA: Stone Temple Pilots - "Purple" (1994) & Velvet Revolver - "Contraband" (2004)

Novo ano e finalmente o programa que adiamos por uma semana devido às três emissões especiais dedicadas à nova música portuguesa que fecharam 2015! Colecção RA a abrir Janeiro de 2016 com a devida homenagem a Scott Weiland, falecido no passado dia 3 de Dezembro. Nas duas horas de emissão de Domingo voaremos por dois dos projectos onde Scott esteve presente. E, assim sendo, a partir das 22h do dia 3 de Janeiro, Ruído Alternativo com a audição na íntegra os álbuns Purple (1994) dos Stone Temple Pilots e Contraband (2004) dos Velvet Revolver.

---
Na primeira hora pegamos na carreira dos Stone Temple Pilots, oriundos da Califórnia, e não da meca do grunge, a cidade fria de Seattle, e faremos um retrato desde o início da banda até aos dias de hoje. Em 1992, quando a banda de Scott Weiland lança o seu álbum de estreia, já o género que matou o glam tinha todos os holofotes em si. Core é mal recebido pela imprensa, que sempre lhe apontou o dedo como uma mera cópia a Pearl Jam, mas, todavia, o público não foi na conversa e levou a estreia do quarteto, composto ainda pelos irmãos Robert e Dean DeLeo, e por Eric Kretz, até ao número três da Billboard, arrecadando ainda um Grammy com o icónico tema "Plush" na categoria Best Hard Rock Performance. Dois anos mais tarde a banda atira-se para o segundo disco, Purple, e a história começa a ser diferente. A imprensa recebe-o melhor e veem-se uns Stone Temple Pilots a crescer e a procurar novos caminhos - estavam, assim, reunidas as condições para a aclamação de ambas as partes da equação: o público e a imprensa. Número um na Billboard (com "Vasoline" e "Interstate Love Song" a fazerem o mesmo nas tabelas de singles norte-americana) e a imprensa colocar o disco em diversas listas de melhores de 1994, entre os melhores da década e em várias listas dedicadas aos melhores álbuns de hard rock de sempre. O caminho trilhado pela banda era o certeiro, mesmo tendo à sua frente Scott Weiland, figura que trouxe para si uma imagem oposta às das figuras do grunge da época: maquilhava-se e mudava constantemente de imagem, trazendo um apelo sexual nada comum entre os seus pares. Fora sempre olhado de lado, mas a sua história com drogas e prisões "atestou" a sua virilidade, assemelhando-se a outras histórias do rock, tendo dessa forma escrito também o seu próprio fim. Na primeira hora do Ruído Alternativo recordaremos toda a história dos Stone Temple Pilots, com um grande foco no álbum Purple, o qual escutaremos na íntegra.
CM

Stone Temple Pilots
---

Na segunda parte, ficamos com a estreia em disco do supergrupo Velvet Revolver. O processo até chegar a Contraband e, principalmente, até encontrar o vocalista certo não foi simples. Depois de muitas audições, Slash e companhia acabaram por achar que quem ficava melhor entregue ao microfone era um sujeito que não tinha chegado a fazer qualquer teste: Scott Weiland. O talento do mesmo era inegável e certamente que a imagem de rockstar construída ao longo dos anos de Stone Temple Pilots também não foi indiferente aos restantes Velvet Revolver. A música surgiu rapidamente e, pouco tempo depois de Weiland se juntar ao grupo, já havia um Contraband pronto a chegar às lojas. É na tour de promoção a este disco que surgem os velhos fantasmas da dependência, que afectaram tanto o vocalista como a restante banda. O ambiente entre Weiland e os restantes músicos foi-se deteriorando ao longo dos anos seguintes, algo que viria a ditar o fim dos Velvet Revolver em 2008. Certo é que Contraband é um disco que fica para  história como um dos melhores registos hard rock para massas do novo milénio e que escutaremos na segunda parte da próxima emissão do Ruído Alternativo, em modo Colecção RA. 
AB

Velvet Revolver

sábado, dezembro 26, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 261

2015 está mesmo no fim, o Natal já passou e 2016 prepara-se para aparecer. O Ruído Alternativo, como prometido, irá terminar o ano com a terceira emissão especial, dedicada à nova música nacional. Domingo, a partir das 22h, na Tejo FM, Emissão Especial: Nova Música Portuguesa III com:

1ª parte:
  • Amor Terror
  • Black Leg
  • Daniel Catarino
  • Dead Men Talking
  • Feromona
  • Flamingos
  • Legs And Arms
  • Mazgani
  • Medeiros/Lucas
  • Noz
  • Paraguaii
  • Pista
  • Sr. Inominável
  • Them Flying Monkeys
  • Tomba Lobos

Pista | Daniel Catarino | Dead Men Talking

2ª parte:
  • 10 000 Russos
  • Astrodome
  • Burgueses Famintos
  • Dokuga
  • Dollar Llama
  • Lodge
  • Mécanosphère
  • Rick Chain
  • Savanna
  • Volcano Skin
  • Web
  • Wrath Sins 
10 000 Russos | Dollar Llama | Savanna

Tudo para conferir Domingo à noite, como sempre nos 102.9 FM da Tejo FM para o Ribatejo, ou para todo o mundo via emissão online em tejoradiojornal.pt.

quinta-feira, dezembro 24, 2015

Informação: Nova Imagem II

Finalmente!

Depois de em Junho termos anunciado a mudança de imagem do Ruído Alternativo, seis meses foram precisos para que pudéssemos colocar um ponto final nestas alterações.


Como poderão ver nas diversas plataformas onde estamos inseridos, está tudo limpo, organizado e uniformizado. Agora só falta verificarem essas mesmas mudanças nos seguintes locais:
Quanto a nós, vamos também começar a limpar as informações de biografias, apresentações, etc., mas primeiro virão os balanços do ano.

Resta deixar um enorme agradecimento ao João Ferreira, um amigo que nos ajudou muito nestas alterações à imagem do Ruído Alternativo, tendo o próprio iniciado as mesmas com a alteração do nosso logotipo. O nosso muito obrigado!
Resta dizer que Domingo há mais um programa para ouvir, o último de 2015!


Boas audições, Bom Natal e um Bom Ano Novo!

A equipa,
Ruído Alternativo
ruido-alternativo@hotmail.com
André Beda e Carlos Montês

sábado, dezembro 19, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 260

Mais um programa da série de três dedicados à nova música portuguesa de 2015 (com algumas repescadas de 2014 que foram ficando na prateleira de discos do Ruído Alternativo). Este Domingo, a partir das 22h, na Tejo FM, Emissão Especial: Nova Música Portuguesa II com:

1ª parte:
  • Budda Power Blues
  • El Salvador
  • Galore
  • Ganso 
  • Malcontent
  • Máquina Del Amor
  • Modernos
  • Moonshiners
  • Motel Pantanal
  • Rosemary Baby
  • Tape Junk 
  • Wangari
  • X-Wife

 Máquina Del Amor | Budda Power Blues | X-Wife

2ª parte:
  • Blind Zero
  • Cheers Leaders
  • Country Playground
  • Gazua
  • José Camilo
  • Lesados
  • Sebenta
  • The Japanese Girl
  • Tsunamiz
  • Vulture
  • Youthless
 
José Camilo | Country Playground | The Japanese Girl

Tudo para conferir amanhã à noite, como sempre nos 102.9 FM da Tejo FM para o Ribatejo, ou para todo o mundo via emissão online em tejoradiojornal.pt.

sábado, dezembro 12, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 259

Tal como fora prometido, encerramos 2015 no Ruído Alternativo com três emissões especiais em sequência dedicadas à nova música nacional. Assim, fiquem com todas os projectos em destaque em cada uma das horas da Emissão Especial: Nova Música Portuguesa I:

1ª parte:
  • Cochaise;
  • DW Void;
  • Flying Cages;
  • Mancines;
  • Mighty Sands;
  • Pega Monstro;
  • Peixe : Avião;
  • Salto;
  • The CityZens;
  • The StoneWolf Band;
  • They're Heading West;
  • Trêsporcento;
  • TV Rural;
  • We Bless This Mess;
 
 Pega Monstro | Peixe : Avião | The StoneWolf Band

2ª parte:
  • Artigo 21;
  • Electric Man;
  • Equations;
  • Evols;
  • Jackie D.;
  • Ladrões Do Tempo;
  • Les Crazy Coconuts;
  • Low Torque;
  • MulherHomem;
  • The Black Wizards;
  • The Ramblers;
  • The Temple;
  • The Walks;
Les Crazy Coconuts | Equations | Low Torque

Tudo para conferir amanhã à noite, como sempre nos 102.9 FM da Tejo FM para o Ribatejo, ou para todo o mundo via emissão online em tejoradiojornal.pt.

quarta-feira, dezembro 09, 2015

Emissão Especial: Nova Música Portuguesa I, II & III

Como muitos já poderão ter visto na nossa 'Agenda' do blog (ou sabido pelos nossos podcasts), o Ruído Alternativo está a preparar uma recta final de 2015 cheia de Emissões Especiais - às quais se sucederão os habituais programas de melhores álbuns do ano!

As mais recentes alterações fazem com que a Emissão Especial de Covers (que chegamos a anunciar no último programa) seja eliminada e que a Colecção RA, que normalmente vai para o ar no último Domingo de cada mês, siga para o primeiro programa de Janeiro (a 3 de Janeiro de 2016), com a homenagem devida a Scott Weiland.


Posto isto, o que interessa:

Inicialmente, tínhamos pensado em duas Emissões Especiais dedicadas à Nova Música Portuguesa, mas, com a preciosa ajuda de muitas bandas nacionais [às quais agradecemos a resposta às nossa solicitações] conseguimos realizar três [3] emissões especiais, com seis [6] horas de emissão e mais de 50 projectos/bandas nacionais com música lançada em 2015 [e alguma de 2014]! Música esta que, devido à nossa manifesta falta de tempo, foi ficando para trás. 

Sendo assim, os próximos três Domingos esperam-nos programas dedicados à nova música nacional! Isto é: 13, 20 e 27 de Dezembro, fechando em grande as emissões do Ruído em 2015!

Nas próximas antevisões/destaques, anunciaremos alguns dos nomes que irão constar em cada um desses programas! Fiquem atentos!

A todas as bandas que queiram ouvir a sua música no Ruído Alternativo sigam estas informações.

Tudo para ouvir nos próximos três Domingos, a partir das 22h, nos 102.9 FM para o Ribatejo ou na emissão online da Tejo FM em tejoradiojornal.pt!

sábado, dezembro 05, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 258

Chega Dezembro e chega também a última emissão regular do ano no Ruído Alternativo. A seguir chega a época festiva, preenchida por duas emissões especiais em que a música nacional vai ser rainha, antes de fecharmos o ano com mais uma edição da Colecção RA. Desta vez, e exclusivamente, não teremos qualquer disco novo em destaque, para podermos dar conta de toda a actualidade e de alguma música que não teve espaço por cá. Eis aqui os principais destaques:

1ª parte:

Não passamos ao lado do desaparecimento de Scott Weiland e abrimos o programa ao som dos Velvet Revolver - músico também recordado na segunda hora. A juntar, temos o anúncio de diversos nomes para concertos/festivais, avançados nos últimos tempos; vislumbraremos música de 2016 e, como referido em cima, damos conta de algumas propostas interessantes de 2015 que ainda não tiveram lugar no Ruído. Contém com o anúncio da passagem dos The Cure por Portugal no próximo ano, e ainda nova música de Cage The Elephant (que editam novo trabalho dentro de duas semanas) e dos Tortoise (que lançam disco no próximo ano). A tudo isto, perfilam-se uma série de grandes nomes para ouvir atentamente.

The Cure | Cage The Elephant | Tortoise

2ª parte:

Na segunda hora abrimos novamente a recordar o malogrado Scott Weiland, desta feita com os Stone Temple Pilots. Para além disso, temos o anúncio do regresso aos discos dos Linda Martini e ainda muita música nova, com Glassjaw e Witchcraft em grande destaque, entre muitos outros!

Witchcraft | Glassjaw | Linda Martini

Tudo para conferir amanhã à noite, como sempre nos 102.9 FM da Tejo FM para o Ribatejo, ou para todo o mundo via emissão online em tejoradiojornal.pt.

sábado, novembro 28, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 257

Colecção RA de Novembro a chegar, nesta edição com destaque para Veneno (1987) dos Peste & Sida e Ace Of Spades (1980) dos Motörhead. O primeiro é um clássico do punk nacional que foi reeditado juntamente com Portem-se Bem e Peste & Sida É Que É, numa caixa que recupera estes três clássicos da banda nacional e que é pretexto também para uma tour de apresentação destes trabalhos. Já o segundo aparece aqui após a morte do ex-baterista Phil Taylor, icónico pelo uso da pedaleira dupla. Dois discos para ouvir na íntegra este Domingo.
 
---

(1987) Peste & Sida - Veneno

Em 2015, os Peste & Sida estão à beira de comemorar 30 anos de existência, é certo que houve interrupções e que hoje os Peste não têm o mesmo impacto que outrora, mas tambem não deixa de ser verdade que a banda é uma das mais importantes do rock em Portugal. Em 1987 desbravou caminho no punk rock, mais puro, que abriu caminhos para as novas gerações. Uma banda que colocou mais agressividade no seu som, mas que também soube ser eclética (com o passar do tempo) à imagem dos Clash no Reino Unido. A isto, o grupo juntou-lhes aquilo que só a nós diz respeito, a nossa portugalidade, transformando-se numa das bandas de referência no final da década de 80 e início da de 90 que ainda hoje trava batalhas em palco e que é recordada sempre da melhor forma. A sua viagem começou com Veneno em 1987 com João Pedro Almendra na voz, João San Payo no baixo e nas vozes, Luís Varatojo na guitarra e nas vozes, Orlando Cohen na guitarra e Fernando Raposo na bateria - o quinteto clássico dos Peste & Sida que gravou o clássico de '87 onde na produção este outro grande do rock nacional João Cabeleira dos Xutos & Pontapés que, com Fernando Rascão, produziu um disco cru e curto que se tornou numa peça essencial na época dourada do punk nacional (1987-1991). Saído de uma editora independente, este trabalho levou os Peste & Sida às majors e por consequência ao grande público. A história acabou por ditar o fim de uma banda que chegou ao top com "Sol Da Caparica", mas não lhes tirou a sua importância e distinção como clássicos do rock nacional. E como para se fazer punk é preciso (muito) amor à camisola, por cá ainda andam mostrando e cantando a história ao vivo, com "Gingão", "Carraspana" ou "Veneno" na ponta da língua e de pulmões cheios. Domingo, o Veneno ouve-se por cá. 

Carlos Montês

----

(1980) Motörhead - Ace Of Spades

"We are Motörhead and we play rock n' roll" - são estas as palavras que há anos abrem todos os concertos da banda de Lemmy. Despedido dos Hawkwind em 1975, por "utilizar as drogas erradas", Ian Kilmister rapidamente formou um grupo que apostava em música rápida e directa. Os primeiros anos foram duros, com concertos em barracos e dormidas em casebres, que fizeram os Motörhead marcar em 1977 o concerto de despedida, mas, em cima do apito final, é-lhes oferecido um contrato discográfico para gravar um single. Porém, o grupo acaba por em quatro dias produzir um LP. O que se seguiria já faz parte do domínio público: Motörhead, Overkill, Bomber e Ace Of Spades; foram os discos que fizeram da banda pujante ao vivo - reputação que os tornou num episódio maior da história do rock. Em comum, estes discos têm a formação lendária dos britânicos, composta por Lemmy Kilmister no baixo e voz, Fast Eddie Clarke na guitarra e Philty Animal Taylor na bateria. Constante foi também a necessidade do grupo se demarcar do heavy-metal, associados que foram à NWOBHM e aos movimentos speed e thrash. Para Lemmy, os Motörhead sempre foram e serão uma simples banda de rock, apostada em passar um bom bocado e fazer que quem os ouça também passe. Este é o ponto de partida que levamos em mente para a nossa viagem por Ace Of Spades nesta edição da Colecção RA em memória de Phil Taylor.

 André Beda

---

Tudo isto, e muito mais, a não perder amanhã à noite na Tejo FM. A partir das 22h nos 102.9 FM para o Ribatejo ou para todo o mundo na emissão em www.tejoradiojornal.pt.

Colecção RA: Peste & Sida - "Veneno" (1987) & Motörhead - "Ace Of Spades" (1980)

O frio aperta, mas pelo Ruído Alternativo o rock continua a carburar. O final de mais uma mês indica mais uma coisa: Colecção RA e mais dois discos para ouvir na íntegra. Na primeira parte temos a estreia de uma banda do punk nacional que reeditou clássicos da sua discografia e na segunda parte a homenagem a um baterista que imortalizou a pedaleira dupla. Assim sendo, Veneno (1987) dos Peste & Sida verá o seu disco ouvido na íntegra na primeira hora deste Domingo, dia 29 de Novembro, e na segunda hora será a vez de Ace Of Spades (1980) dos Motörhead.
---

Tudo começou num Verão, em 86, e a subida até foi rápida. Após um concurso, onde ficam em último lugar, os Peste & Sida não desistem e ainda bem que o fizeram, afinal estavam a poucos meses de assinar um dos clássicos do punk português. Os Peste foram a primeira banda a colocar o punk de directo de Ramones, Sex Pistols ou The Clash na ribalta em Portugal, após um boom do rock que, apesar de bom para a indústria, não conseguiu fabricar e consolidar a ideia de punk à séria, por mais que a fonte deste boom seja aquela época de '77. Foram precisamente os Peste & Sida a fazê-lo de forma consistente com consequente sucesso e visibilidade. Veneno sai em 1987 (10 anos após o ano dourado do punk internacional) e torna-se no primeiro de três tiros certeiros da carreira do grupo para aquela a que se convencionou chamar a era dourada do punk em Portugal (1986-1991). Aqui abriram-se portas para: o sucesso e mediatização de um punk mais duro [até os Mata-Ratos assinaram com uma major], o underground que pôde crescer ainda mais e para o punk como ideia de liberdade, de do it yourself e de pegar em instrumentos - mesmo sem saber tocá-los. As realidades da rua, da juventude, da pobreza, do desemprego, da política,... tudo o que o punk chama a si, começaram a merecer um olhar de grandes públicos depois de os Xutos & Pontapés apresentarem o Circo De Feras. Veneno materializa isso tudo, num cruzamento de punk com post-punk, sendo o único disco (dos três clássicos agora reeditados pela banda) onde são directos e curtos [literalmente]. Os Peste não se limitaram a trazer influências estrangeiras [olhe-se também para a capa], trouxeram também até a si uma ideia de portugalidade: há música tradicional ("Carraspana"), há problemas nacionais ("o ensino é um veneno"), há  referências locais (o bar Gingão do Bairro Alto)... A banda-charneira do punk começa aqui. E numa altura em que a caixa Peste & Sida 1987-1990 está nas lojas, olhamos para Veneno, clássico para ouvir e conhecer Domingo à noite.


---

Rock N' Roll. Assim se caracteriza a carreira dos Motörhead, não apenas em ter termos de música, como também na sua atitude e estilo de vida. Os abusos de Lemmy, que recentemente trocou o seu Jack Daniels por vodka com laranja, tornaram-se lendários e tomaram um lugar de tanto destaque que por vezes se esquece que estamos na presença de uma banda que fez música muito relevante, particularmente no período que vai de 1977 a 1986. Com um trio de ataque composto por Lemmy Kilmister, Fast Eddie Clarke e Philty Animal Taylor, os Motörhead rapidamente construíram um reportório de música rápida, simples e eficaz que ficou gravada como parte importante da inspiração de estilos como o heavy-metal e o punk.  Não são os melhores motivos que trazem os Motörhead pela primeira vez à Colecção RA, uma vez que assinalamos a morte do baterista Phil Taylor com a audição na integra do clássico Ace Of Spades



sábado, novembro 21, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 256

Ainda com dois Domingos pela frente, o Ruído Alternativo apresenta já amanhã mais um programa dedicado à actualidade, antes da Colecção RA que fechará este mês. Como habitual, mais dois novos discos em destaque. A saber:

1ª parte:

O duo norte-americano Jeff The Brotherhood, com o seu segundo álbum de 2015, será o prato principal desta hora - Global Chakra Rhythms verá apenas três temas neste programa, porém são longas viagens que demonstram a essência deste trabalho. Para além deste duo, não nos esquecemos de vos dar as notícias do mundo rock, com o anúncio de alguns nomes para o Verão de 2016, e não nos esquecemos da nova música e de algumas faixas que a actualidade dos últimos dias exige ouvir. The Brian Jonestown Massacre, Pega Monstro, Quilt, e muitos outros nomes estão escalados nesta hora.

Jeff The Brotherhood - Global Chakra Rhythms | The Brian Jonestown Massacre


2ª parte:

Em destaque na segunda hora estará o segundo LP dos The Heavy Eyes, He Dreams Of Lions. Em destaque ainda muita nova música e as novidades em termos de concertos e álbuns anunciados. Contem assim com a nossa homenagem a Philty Animal Taylor com os Motörhead e ainda nomes como Textures, Steak Number Eight e muito mais!

Steak Number Eight | The Heavy Eyes - He Dreams Of Lions

Tudo para conferir amanhã à noite, como sempre nos 102.9 FM da Tejo FM para o Ribatejo, ou para todo o mundo via emissão online em tejoradiojornal.pt.

sábado, novembro 14, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 255

Estava prometido e vai acontecer, o Ruído Alternativo tem preparado para amanhã à noite mais um programa temático onde daremos a conhecer alguns dos mais importantes nomes do universo rock que a dada altura na sua história tiverem que trocar de vocalista. A Emissão Especial - "Trocámos O Vocalista" é o nome escolhido para esta emissão onde ouvir-se-ão dois temas da mesma banda, mas com músicos diferentes nas vozes:

Alguns dos artistas que podem contar nesta Emissão Especial:

Na primeira hora:

GNR, Pink Floyd, AC/DC, e muito mais!

GNR (vocalista: Alexandre Soares | Rui Reininho)

Na segunda hora:

Ibéria, Deep Purple, Anthrax, entre outros.

Deep Purple (vocalista: Ian Gillan | David Coverdale)


Tudo para amanhã, a partir das 22 horas, como sempre nos 102.9FM da Tejo FMpara o Ribatejo, ou para todo o mundo via emissão online em tejoradiojornal.pt.

Emissão Especial: "Trocámos O Vocalista"

Chegados que estamos ao meio deste mês, o Ruído Alternativo faz a habitual pausa na actualidade para dar lugar à música que marcou gerações passadas e que ajuda a perceber o que se faz hoje no rock. Todos os meses propomo-nos a uma emissão especial temática na qual vos mostramos novas ideias para olhar este universo musical.

Emissão Especial: "Trocámos O Vocalista" é a nossa proposta para este mês de Novembro e para o programa do próximo Domingo dia 15 de Novembro. Durante estas duas horas ouvir-se-ão alguns dos maiores nomes do rock que, a dado momento, acabariam por fazer mudanças na frente de palco, alguns mais do que uma vez. As mudanças e as histórias por trás delas para conhecer ao longo deste programa especial!



Tudo para descobrir este Domingo a partir das 22h, nos 102.9FM para a região do Tejo ou através da emissão online da Tejo FM para todo o mundo.

sábado, novembro 07, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 254

Mais uma semana de Novembro, mês que continua a rolar com mais uma emissão de actualidade. Dois novos discos para escuta, muitas novidades do mundo rock e muita música nova, com alguns clássicos a pontuar este programa. O Ruído Alternativo está de regresso já amanhã à noite para mais duas horas em grande:

1ª parte:

Manual é o disco em foco, trabalho dos brasileiros Boogarins que estão a dar que falar muito para lá dos países lusófonos (os EUA e o Reino Unido que o digam). Para além desta banda de rock psicadélico, passamos o olhar para alguns clássicos que são notícia por estes dias, tomamos o pulso ao novo rock e ainda piscamos o olho à música portuguesa. Tudo isto numa hora onde fazer-se-ão ouvir nomes como The Fallen Reign, Girl Band, Bruce Springsteen, entre muitos outros.

The Fallen Reign | Boogarins - Manual

---

2ª parte:

Na segunda parte, muita coisa para pôr em dia: em grande destaque estará o novo álbum dos Mutoid Man (projecto paralelo de Converge e Cave In), Bleeder. Para além disso, esta é uma hora com muita música nova, como é habitual, mas hoje com alguns clássicos e outras notícias que  marcam a actualidade. Nesta emissão marcam presença nomes como The Heavy EyesDream TheaterGrankapo, e muitos mais!

Mutoid Man - Bleeder | Dream Theater

Tudo para conferir Domingo à noite, como sempre nos 102.9FM da Tejo FMpara o Ribatejo, ou para todo o mundo via emissão online em tejoradiojornal.pt.

sábado, outubro 31, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 253


Estamos no início de um novo mês e com Novembro chega também o regresso à actualidade. Dois novos discos para escuta, muitas novidades do mundo rock e muita música nova, com um ou outro clássico pelo meio. O Ruído Alternativo está de regresso já amanhã à noite para mais duas horas intensas:

1ª parte:

Em grande destaque o segundo álbum de originais dos londrinos Cheatahs, Mythologies, que sucede à sua estreia em homónimo do ano passado. Para além da música nova e do anuncio de alguns dos concertos que marcam a agenda rock dos próximos tempos, também haverá espaço para algumas recordações e notícias. Podem contar com uma boa dose de música portuguesa, numa emissão onde ouvir-se-ão nomes como: Le Butcherettes, Peste & Sida, The Arcs, entre muitos outros.

Cheatahs - Mythologies | Le Butcherettes

---

2ª parte:

Na segunda parte, em grande destaque estará o novo álbum dos históricos Killing Joke, Pylon. Para além disso, esta é uma hora com muita música nova acabada de sair do forno, onde também marcam presença nomes como Windhand, Puscifer, Hills Have Eyes, e muitos mais!

Windhand | Killing Joke - Pylon

Tudo para conferir Domingo à noite, como sempre nos 102.9FM da Tejo FM, para o Ribatejo, ou para todo o mundo via emissão online em tejoradiojornal.pt.

sábado, outubro 24, 2015

Antevisão/Destaques: Programa 252


Uma morte e um aniversário/concerto são os motes para mais uma emissão especial desta rubrica, em jeito de homenagem a mais dois discos importantes para contar a história do rock. Estão assim convidados para mais uma sessão em que vamos ouvir mais dois discos na integra: Fun House (1970) dos The Stooges e Demanufacture (1995) dos Fear Factory para escutar e perceber neste Domingo de Ruído Alternativo a partir das 22h, na Tejo FM!

---

(1970) The Stooges - Fun House

The Stooges (1969), Fun House (1970) e Raw Power (1973), estes são alguns dos mais importantes discos lançados e que muito contribuíram para o desenvolvimento do punk - o som que moldaria a última metade da década 70 do rock. Estes três álbuns são da autoria da mesma banda, os The Stooges, que não fosse o punk invadir meio mundo e nunca seriam compreendidos com o som que fizeram. Já é sabido que a falta de sucesso ditou o fim prematuro da banda, eternamente ligada a Iggy Pop (activa de 1967-1974), mas a história reservou-lhes um lugar especial que hoje, e após o regresso em 2003 [e mais dois novos discos], faz jus aos novos rumos ditados pelo quarteto na sua primeira encarnação. Conhecidos pela rebeldia, pela crueza e pela selva que montavam em palco (muitas vezes indiferentes ao público), houve no seio deles um membro temporário [permanente no seu regresso em 2003] que colocou o seu som furioso num patamar superior. É em Fun House, segundo na conta dos norte-americanos, que Steve Mackay entra com o seu saxofone para o grupo e que traça assim novos rumos e novos dados para o som que mais tarde influenciariam. Muita para lá do punk, este é um disco que marca uma geração, mesmo que à altura não tenha sido totalmente compreendidos, e traça novas ideias para toda a música - da música mais exploratória à mais pesada. Fun House é uma casa onde se brincou com as diversas peças e possibilidades que os Stooges tinham em mãos. Crus, sofisticados e clássicos. O tempo só lhes deu razão. E ainda bem - nós agradecemos tal(ais) testemunho(s).
Carlos Montês



(1995) Fear Factory - Demanufacture

Na segunda parte vamos ao encontro de Demanufacture, o segundo disco dos Fear Factory e que ajudou a estabelecer o som com qual a banda ficaria conhecida. Os californianos formaram-se na recta final dos anos 80, altamente influenciados pela música extrema que saía do velho continente - particularmente o grindcore dos Napalm Death. Em 1991, o então trio formado por Dino Cazares, Raymond Herrera e Burton C. Bell gravou uma demo com Ross Robinson (um ilustre desconhecido que viria a ganhar fama no boom do nu-metal) que bastou para a oferta de um contrato da Roadrunner. Seguiu-se a estreia Soul Of A New Machine, ainda muito influenciada pelo metal extremo e, em 1995, Demanufacture. Este é um disco conceptual, já com muitos samples e teclados, que se baseia na luta de um homem contra um governo liderado por máquinas - qualquer semelhança com o filme O Extreminador Implacável não é uma mera coincidência. O som dos Fear Factory projectava então a banda num futuro tão longínquo que ainda hoje não há grupo que se tenha aproximado dele. Logo depois vem o ainda mais ambicioso Obsolete (1998), que foi o bilhete da banda para o mainstream, e o falhanço Digimortal (2001). Este último culminou num mal-estar no seio do grupo que só podia resultar na sua separação. Ainda assim os Fear Factory regressariam pouco tempo depois sem Dino Cazares, ele que tinha lançado duras acusações sobre os restantes membros do grupo. Ele próprio haveria de voltar anos mais tarde, mas consumando as incompatibilidades com Christian Olde Wolbers e Raymond Herrera, que foram postos à margem da segunda reunião. Assim, Cazares e Bell têm transportado a bandeira dps Fear Factory nos últimos anos, lançado nova música industrial e este ano olhando também para o passado e para os 20 anos deste Demanufacture - para escutar na integra amanhã à noite em mais uma edição da Colecção RA.
André Beda
 
Tudo isto, e muito mais, a não perder amanhã à noiteA partir das 22 horas na Tejo FM em 102.9 FM para o Ribatejo ou para todo o mundo na emissão online em www.tejoradiojornal.pt.