domingo, abril 30, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 326

No final de Abril o Ruído Alternativo regressa às emissões de Colecção RA com mais dois discos para ouvir do primeiro ao último segundo. Este mês entram na nossa prateleira de discos essenciais Changri-Lá de Carlos Alberto Vidal - disco reeditado no ano passado para comemorar o seu 40º aniversário - e ainda Are You Experienced da Jimi Hendrix Experience - a estreia em LP do mago da guitarra que está muito perto de fazer 50 anos. Fiquem a conhecer um pouco melhor os discos em questão aqui em baixo:

(1976) Carlos Alberto Vidal - Changri-Lá

Com 21/22 anos Carlos Alberto Vidal atirou-se para o seu primeiro disco de originais. Antes, já revelava talento para a música com canções próximas do imaginário de Zeca Afonso, polvilhadas pelo folclore. No entanto, é com Changri-Lá que Vidal se imortaliza mesmo sem saber - só no novo século, com a Internet e o YouTube, é que o culto cresceu. Para este trabalho Vidal reuniu-se de músicos que respiravam o rock sinfónico e com a espiritualidade e os ensinamentos do guru indiano Maharaj-Ji concebe um disco de rock progressivo que respira a liberdade pós-25 de Abril. Um momento único na sua carreira. No Discogs há discos à venda por 600 euros e no eBay há quem já o tenha vendido por 192 euros - tudo razões para nomear este disco raro, obscuro e ovni na carreira de Carlos Alberto Vidal um dos marcos do rock progressivo feito em Portugal. Se chegará a palco? Já esteve mais longe. Este é o disco prog do Avô Cantigas - um tesouro!

CM

---


(1967) The Jimi Hendrix Experience - Are You Experienced

Depois de quatro anos como músico acompanhante, Jimi Hendrix provou finalmente o doce sabor do sucesso em 1967. Mudou-se para Inglaterra e lá, com o manager e produtor Chas Chandler, começa a montar um power trio desenhado para fazer a sua inovadora abordagem à guitarra brilhar: a Jimi Hendrix Experience. Os primeiros laivos de reconhecimento vieram com os singles "Hey Joe" e "Purple Haze" - uma versão e um original, respectivamente. No entanto, e como é natural, é na tela maior que demonstrada toda a força da Experience. Are You Experienced sai poucos meses depois de Hendrix escrever o seu primeiro tema original e mostra um impressionante cruzamento de sons: da soul ao blues e da folk ao psicadelismo. Com Hendrix, Mitch Mitchel e Noel Redding nascia um novo tipo de rock and roll: o hard rock. Este viria a influenciar imediatamente grupos como Black Sabbath e Deep Purple e, a longo prazo, uma linhagem de bandas que se estende até aos dias de hoje. Um disco absolutamente essencial que está perto de comemorar o 50º aniversário para ouvir hoje em Colecção RA.

AB

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sábado, abril 29, 2017

Colecção RA: Carlos Alberto Vidal - "Changri-Lá" (1976) & The Jimi Hendrix Experience - "Are You Experienced" (1967)

Abril. Liberdade. E nada melhor que comemorar este mês tão importante para o calendário nacional do que pegar em dois discos que, à sua medida, simbolizam isso. Este Domingo o Ruído Alternativo apresenta um disco com 41 anos que ficou esquecido por muitos mas que com a Internet ganhou todo um novo culto: Changri-Lá (1976) de Carlos Alberto Vidal que na ressaca do 25 de Abril trouxe a liberdade e a espiritualidade para um trabalho de prog rock. E como há 50 anos vivia-se o ano dourado de 1967 - no que ao rock diz respeito -, voltamos a esse ano para ouvir a estreia da The Jimi Hendrix Experience, Are You Experienced, que colocou a guitarra no centro das atenções e a transformou num instrumento sem fronteiras.

--- 

Tudo começou em Fevereiro do ano passado. Uma nova editora do Porto nasce com o desejo de reeditar aquele que é um dos discos com mais culto em Portugal. A Babilónia contacta Carlos Alberto Vidal e com a sua autorização prepara tudo para a reedição do álbum Changri-Lá. O culminar do trabalho aconteceu meses mais tarde, a 2 de Dezembro: 300 cópias em vinil remasterizadas de um álbum de rock progressivo nacional lançado em 1976. [Pausa.] Até aqui muitos dos que estejam a ler isto podem estar a perguntar-se: "Changri-Lá? Mas que disco é esse? E quem é esse Carlos Alberto Vidal?". A resposta é simples: Carlos Alberto Vidal é só o (futuro) Avô Cantigas. [Silêncio.] Preparem-se, assim, para uma Colecção RA irrepetível.

CM

Carlos Alberto Vidal

---

Mil Novecentos e sessenta e sete é mesmo um ano em cheio no panorama do rock. A música com guitarras ganhava densidade e complexidade nesta era psicadélica - afinal o prog estava prestes a entrar também em cena. Beatles, Pink Floyd, The Doors, The Animals, Jefferson Airplane, Roliing Stones, Velvet Underground e Procol Harum: todos eles lançaram pelo menos um disco neste afamado ano. Depois há ainda o aparecimento em cena da Jimi Hendrix Experience, um power trio montado de forma a fazer a guitarra de Hendrix brilhar. Dois álbuns da Experience foram lançados em 1967, para além de uma série de singles que colocaram Hendrix e companhia na ribalta da música rock. Ouvimos na emissão de amanhã o disco de estreia, Are You Experienced, aquele que conta com as primeiras composições do norte-americano e vai abrindo caminho a uma via alternativa no território do rock and roll.
AB


The Jimi Hendrix Experience

---

Ruído AlternativoDomingo, 22h-24h na Tejo FM. Emissão online aqui.

sábado, abril 22, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 325

É chegado o momento de vos dar um pouco mais sobre aquilo que se vai passar no próximo Domingo à noite na Tejo FM. O Ruído Alternativo tem preparado um programa com muita nova música, rock e metal; damos a notícias que mais importam saber da última semana; fazemos uma antevisão à próxima sessão das Cartaxo Sessions e temos ainda uma conversa com a banda do Porto Summer Of Hate, como anunciámos por aqui.

Em baixo, deixamos algumas bandas e artistas com passagem assegurada nesta emissão. Boas audições.

1ª parte:

Cold War Kids | The Poppers
The New Year | Peter Perrett

2ª parte:


Rex Brown | Summer Of Hate
Tombs | Danzig

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

quinta-feira, abril 20, 2017

Discurso Alternativo: Summer Of Hate

Na semana passada passou pelo programa uma conversa com os The Japanese Girl, banda que actuou no dia 25 de Março no Centro Cultural do Cartaxo, e para o programa desta semana há mais conversa saída desse dia. Estiveram também nessa sessão das Cartaxo Sessions os Summer Of Hate, com entrevista para ouvir no próximo Ruído Alternativo.

Summer Of Hate, projecto formado por João Martins (à direita, sentado)

Os Summer Of Hate são um projecto do Porto formado por João Martins (guitarra e voz). Actualmente estão na formação Vasco Oliveira (guitarra) e André Brandão (baixo) - que falaram com o Ruído Alternativo -, e ainda Gustavo Marques (guitarra). Ao vivo costumam trazer para palco vários amigos, como Rafael Claro (teclista), Bruno Sousa (guitarra) e Emanuel Cunha (bateria) que actuaram no Cartaxo.

Este é um projecto que tem como base a colaboração entre vários amigos e músicos, estando agora numa nova fase, depois de várias demos e músicas lançadas avulso. Os Summer Of Hate preparam e estão a gravar um novo álbum, assim como muitos EPs, prometendo muita música para os próximos tempos, com os The Brian Jonestown Massacre como referência.

Com o Ruído Alternativo os Summer Of Hate falaram de política e religião, das editoras e da indústria musical, a experiência de pisar o Reverence Festival Valada e aproveitaram para fazer psicanálise. Tudo para ouvir este Domingo, 23 de Abril, a partir das 22h nos 102.9 FM para o Ribatejo ou na emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.

---

Na próxima semana colocaremos o podcast desta entrevista completa, sem cortes nem intervalos, aqui no blog em Discurso Alternativo.

sexta-feira, abril 14, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 324

Para muitos amanhã o dia é do renascimento de Cristo, para outros é dia em que o rock e o metal voltam a renascer, como acontece todos os Domingos à noite, a partir das 22h, na antena da Tejo FM.

O Ruído Alternativo regressa, assim, com mais uma emissão dedicada à actualidade, com espaço para muita nova música e para uma conversa com os The Japanese Girl. Os ovos estão no cesto, numa emissão a não perder!

Em baixo algumas das bandas e artistas com passagem assegurada neste programa.

1.ª parte:

Amor Terror | Pontiak
Pissed Jeans | The Big Moon

2.ª parte:


Iberia | The Obsessed
Royal Thunder | Lâmina

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

quinta-feira, abril 13, 2017

Discurso Alternativo: The Japanese Girl

A 25 de Março realizou-se mais uma edição das Cartaxo Sessions - a terceira desde a sua nova vida que começou em 2017 -, uma sessão que trouxe ao Centro Cultural do Cartaxo os The Japanese Girl e os Summer Of Hate. O Ruído Alternativo esteve lá, falou com as duas bandas e tem reservado para o programa deste Domingo, 16 de Abril, um espaço para a conversa com os The Japanese Girl.

 The Japanese Girl, formados por: Emanuel Cunha, Bruno Sousa, Corinna Sousa e Angelo Vicente Jr. (esq.-dir.)

Os The Japanese Girl formaram-se em 2013 entre o Porto e Penafiel. Começaram como trio, Bruno Sousa (voz e guitarra), Corinna Sousa (teclados e sintetizadores) e Emanuel Cunha (coros, guitarras e percussão), ao qual se juntou mais tarde Angelo Vicente Jr (bateria e percussão), que 'cristalizou' a formação.

Em 2014 deram o seu primeiro concerto no Ribatejo, a propósito do warm up da primeira edição do Reverence Festival Valada, em Benavente, e no ano seguinte lançaram o seu primeiro LP. Sonic-Shaped Life saiu com o selo da espanhola Munster Records e foi considerado pelo Ruído Alternativo com um dos melhores trabalhos nacionais de 2015.

Com o Ruído Alternativo o grupo nortenho recordou os primeiros passos, falou sobre as opções de carreira, a sua ligação com a 'família' Cartaxo Sessions/Reverence e do seu futuro, quando se aguarda por novo e segundo álbum de originais.

A entrevista com os The Japanese Girl pode ser ouvida ao longo do programa desta semana. Domingo, 16 de Abril, a partir das 22h nos 102.9 FM para o Ribatejo ou na emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.

---

Na próxima semana colocaremos o podcast desta entrevista completa, sem cortes nem intervalos, aqui no blog em Discurso Alternativo.

sexta-feira, abril 07, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 323

O Ruído Alternativo volta à actualidade este Domingo depois de duas emissões especiais, uma Colecção RA e um programa dedicado a Chuck Berry com espaço para nova música portuguesa.

Na primeira parte deste programa a nova música rock é o prato forte - com espaço para as notícias que vão marcando a agenda -, e na segunda parte há ainda espaço para uma antevisão da CTX Battle Session I, que se realiza no dia 15 de Abril no Centro Cultural do Cartaxo. Nesta hora, para além da nova música, rodamos as bandas que actuarão neste evento de black metal do Cartaxo e falamos com um dos seus mentores, Pedro Baptista da CTX Metal Events - como já tínhamos anunciado aqui.

Em baixo ficam algumas das bandas que fazem parte deste menu.

1ª parte:

Slowdive | Pulled Apart By Horses
Kasabian | Boss Hog

2ª parte:

Samsara Blues Experiment | Derrame
Mutoid Man | Anathema

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

quinta-feira, abril 06, 2017

Discurso Alternativo: Pedro Baptista (CTX Battle Session I)

No dia 15 de Abril o black metal volta a invadir o Cartaxo e o Ruído Alternativo dedica parte do programa deste Domingo, 9 de Abril, a esse acontecimento.

Falámos com Pedro Baptista, da CTX Metal Events, e ficámos a saber tudo sobre a CTX Battle Session I, e não só, num programa a não perder!

Pedro Baptista da CTX Metal Events

No final de Outubro do ano passado realizou-se no Cartaxo o primeiro CTX Metal Fest, festival de black metal que inundou o Centro Cultural do Cartaxo. Na altura falámos com um dos seus mentores, Pedro Baptista, que se prepara para concretizar a CTX Battle Session I - aquilo a que podemos de chamar de um warm up para a segunda edição do CTX Metal Fest -, com Lino Miguel.

Ao longo do programa vamos ouvir a música das três bandas que passarão pelo Cartaxo (Congruity, Derrame e Oppidum Mortuum), falamos sobre o conceito desta Battle Session, fazemos um rescaldo sobre o primeiro CTX Metal Fest e projectamos a segunda edição do festival marcada para 28 de Outubro no Cartaxo.

A conversa com Pedro Baptista vai para o ar na segunda hora do Ruído Alternativo deste Domingo, a partir das 22h nos 102.9 FM para o Ribatejo ou na emissão online para todo o mundo da Tejo FM em www.tejoradiojornal.pt.

---

Na próxima semana colocaremos o podcast da entrevista completa, sem cortes nem intervalos, aqui no blog em Discurso Alternativo.

sábado, abril 01, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 322

Tal como prometemos a meio da semana, para este primeiro Domingo de Abril o Ruído Alternativo tem preparada uma emissão especial. A primeira hora é dedicada ao pai do rock and roll Chuck Berry, que faleceu no passado dia 18 de Março, com um olhar atento à sua longa carreira. Na segunda parte voltamos à carga no campo do novo rock nacional, com alguns dos temas que marcam este início de 2017.

Desde já avisamos que estamos a passar por algumas dificuldades técnicas, as quais se farão notar ligeiramente ao longo do programa de amanhã. Em baixo ficam alguns dos destaques desta emissão na antena da Tejo FM

1ª parte:

Chuck Berry

2ª parte:

Manuel Fúria & Os Náufragos | Moda Americana
Mão Morta + Remix Ensemble | Serushiô

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sexta-feira, março 31, 2017

Emissão Especial: Chuck Berry (1926-2017)

No próximo Domingo fazemos a devida homenagem àquele que muitos apelidam ser o "pai do rock 'n' roll". No passado dia 18 de Março desapareceu Chuck Berry, aos 90 anos, e ao longo da primeira hora do programa deste Ruído Alternativo passaremos a pente fino a carreira do senhor de "Johnny B. Goode". Na segunda hora aproveitamos para rever a matéria dada no que à música portuguesa diz respeito.


Se fossemos escolher quem foi o inventor ou o "pai" do rock Chuck Berry estaria sempre entre os mais fortes candidatos. O homem que nasceu em 1926 em St. Louis (E.U.A.) retratou na canção "Johnny B. Goode" a sua carreira: um negro que veio de média classe afro-americana, de guitarra na mão, e que conquistou o mundo.

Cedo teve problemas com a autoridade, mas o legado que deixou ultrapassa todo e qualquer problema com assaltos à mão armada ou relações sexuais com menores. Em 1955, a pedido de Muddy Waters, gravou para a Chess Records a canção "Maybellene", a versão de Chuck para "Ida Red" (canção tradicional norte-americana), e a partir daí todo o jogo mudou.

Chuck Berry quis que o estilo que estava a desenvolver - o rock - tomasse o lugar da música clássica [ouvir "Roll Over Beethoven"], e assim foi - podemos dizer. Juntou brancos e pretos nas mesmas salas e clubes, colocou-os a escutar a mesma música, de forte inspiração blues e country, e com electricidade, e amealhou dinheiro com vários singles no top norte-americano. Foi pioneiro e tornou-se numa estrela.

Entre a Chess e a Mercury Records, Chuck conseguiu construir uma carreira que se manteve a um nível alto na década de 60, mesmo depois de passar um ano e meio na prisão. Quando de lá saiu, em 1963, os Beach Boys tinham um hit intitulado "Surfin' U.S.A.", cuja melodia era totalmente inspirada na sua "Sweet Little Sixteen". Os Estados Unidos estavam sob a invasão britânica, cujas raízes estavam, em grande parte, na música deste "pai".

Rolling Stones e Beatles, como figuras de proa da invasão, deram um empurrão à carreira de Chuck Berry do outro lado do Atlântico, com o mesmo a fazer uma bem sucedida tour em terras de sua majestade em 1964. O próprio John Lennon, dos Beatles, um dia disse que "se tentares dar ao rock and roll outro nome, tu podes chamá-lo de Chuck Berry". Acertou. 

Nos anos 70 começou a dar concertos com bandas das cidades onde tocava, fazendo-se acompanhar apenas pela sua fiel guitarra Gibson. A seu lado tocou um Bruce Springsteen em início de carreira, que referiu que Chuck Berry não dava qualquer setlist aos músicos e que nem lhes agradecia no final da noite. Não lançou qualquer LP de originais depois de 1979, mas continuou a subir aos palcos até 2014.

Sucumbiu em St. Louis, na sua casa, no passado dia 18 de Março, aos 90 anos de idade. Uma morte provocada por causas naturais, na sequência da qual Chuck Berry deixa para trás um legado inestimável na construção daquilo a que hoje se considera rock and roll.  

Rock It ficou durante 38 anos com o título de último trabalho do músico, algo que vai mudar a 16 de Junho com Chuck, disco que o músico anunciou no passado mês de Outubro e que será agora lançado a título póstumo. No programa do próximo Domingo vão poder ouvir nova música, os clássicos de sempre e algumas versões surpreendentes por parte de outros músicos - tudo ao longo da primeira hora de Ruído Alternativo

---

A segunda parte desta emissão está reservada ao novo rock e metal nacionais lançado este ano e que continua a dar força à música portuguesa.

---

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

domingo, março 26, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 321

Chegados ao último Domingo do mês de Março, é altura do Ruído Alternativo trazer de volta à antena a rubrica Colecção RA, como é de resto habitual. Dois discos para ouvir do primeiro ao último segundo nesta emissão: na primeira parte comemoramos os 50 anos de The Velvet Underground & Nico e na segunda hora os 25 de Mutantes S.21 dos Mão Morta

(1967) The Velvet Underground & Nico - The Velvet Underground & Nico 

Em 1965 norte-americano Lou Reed (que já tinha iniciado experimentações no rock) e o galês John Cale (de formação clássica) juntam-se num projecto, a base Velvet Undergroud. Os músicos foram entrando até a formação ficar definida como Sterling Morrison e Moe Tucker. A estes juntou-se Andy Warhol, uma das peças chave para um grupo que através dos seus espectáculos multimédia pôde actuar pelos Estados Unidos das América e pelo Canadá. O artista foi ainda produtor do grupo (embora esta função traga sempre muitas dúvidas na hora de documentar o disco), manager e deu liberdade para que os Velvet pudessem criar sem limites. Sugeriu a entrada da cantora e modelo alemã Nico nalgumas canções que num primeiro momento trouxe mais público à sua música. Em 1967, com o disco de estreia nas lojas, começou o calvário: os críticos não ligaram ao álbum, as vendas foram quase nenhumas, as rádios recusavam-se a passar a música da banda, as revistas não colocavam anúncios sobre o disco e houve ainda quem pedisse dinheiro pela foto utilizada na contracapa do disco. The Velvet Underground & Nico só seria compreendido uma década mais tarde. E géneros como o art rock, o punk, o garage, o grunge, o shoegaze, o gótico, o indie ou a música alternativa muito devem a este trabalho. Este ano comemora meio século de vida e nós estamos cá para dizer que valeu bem a pena.
CM

--- 

(1992) Mão Morta - Mutantes S.21

Em Abril de 1992 os Mão Morta davam o primeiro concerto do ano, fazendo a primeira parte dos Jesus And Mary Chain em Lisboa. As circunstâncias desse espectáculo e o que já vinha para trás - o último disco da banda pouco tinha feito para manter os bracarenses no circuito de concertos - faziam desta uma fase delicada na vida do grupo. Adolfo Luxúria Canibal convence então o manager da banda, o dono da fábrica de malas e carteiras Fungui, a apostar num último álbum. Muito provavelmente, nenhuma das partes envolvidas estaria perto de imaginar que Mutantes S.21 perpetuaria os Mão Morta no panorama da música nacional até aos dias de hoje. A premissa era ambiciosa: fazer um álbum conceptual, o primeiro do grupo, que funcionasse como uma viagem ao submundo de várias cidades, começando naturalmente por "Lisboa" e logo com uma referência ao Casal Ventoso. Apesar de apresentar um som um pouco mais polido, era um registo com um conceito e as letras continuavam banhadas de sangue, álcool e Marxismo. Normalmente, não seria suficiente para resgatar os Mão Morta do underground, mas são convidados pela RTP para gravar um videoclip. A escolha recaiu em "Budapeste", cuja a alta rotação na TV levou os Mão Morta à rádio, com um airplay massivo. No rescaldo, os concertos começaram a chover e a lenda Mão Morta chegaria até à actualidade. Mutantes S.21 comemora em 2017 os 25 anos, data redonda que vai levar o álbum na integra a vários palcos nacionais.

AB

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sábado, março 25, 2017

Colecção RA: The Velvet Underground & Nico - The Velvet Underground & Nico (1967) & Mão Morta - Mutantes S.21 (1992)

Este Domingo, o último do mês de Março, o Ruído Alternativo regressa às emissões de Colecção RA com dois discos que comemoram este ano datas redondas de aniversário: 50 e 25 anos. Dois influentes trabalhos de épocas bem distintas que marcaram gerações, um a nível planetário e outro a nível nacional. The Velvet Underground & Nico de 1967 e Mutantes S.21 dos Mão Morta de 1992 em grande destaque no próximo programa.

---

Em 1982 Brian Eno, conhecido produtor e músico, por exemplo, dos Talking Heads, afirmava que nos primeiros anos o álbum de estreia dos The Velvet Underground & Nico, lançado em 1967, vendeu 30 mil cópias e que cada um que o comprou formou uma banda. Este é um dos comentários mais marcantes sobre um disco que precisou de cerca de dez anos para ser compreendido. Vendou pouco, não entrou se quer no top 100 dos mais vendidos nos Estados Unidos da América, foi banido de rádio e revistas, os críticos deixaram-no passar, mas o seu conteúdo, modernidade e o quebrar de fronteiras perdurou. No passado dia 12 de Março comemoraram-se os 50 anos sobre o seu lançamento e amanhã, Domingo, recordamo-lo no programa. Um dos maiores capítulos da história da música no Ruído Alternativo.

CM

The Velvet Underground & Nico

---

A maior banda de culto nacional. À sombra de Deus. Os Mão Morta serão sempre uma das maiores referências da chamada música moderna portuguesa, com um percurso sempre guiado pela poesia e pela vontade de fazer diferente. Apenas ao quarto álbum chegaram às massas, muito por causa do sucesso de "Budapeste (Sempre A Rock & Rollar)" - aquele que continua a ser o maior single da carreira dos bracarenses. Mutantes S.21 comemora ao longo de 2017 o seu 25º aniversário, com os Mão Morta a prometerem uma tour nacional para assinalar a efeméride. Recusaram revisitar o disco por revisitar - isso é algo que todos fazem, dizem - e levam a palco um espectáculo com uma grande componente visual, com base na banda desenhada que acompanhou uma das edições em vinil de Mutantes S.21. Para já, o concerto especial está confirmado para dois festivais nacionais - Paredes de Coura e Bons Sons - com Adolfo Luxúria Canibal e companhia a prometerem mais datas em breve. A música e história do disco passam pelo próximo Ruído Alternativo em modo Colecção RA.
AB


Mão Morta

---

Ruído Alternativo: Domingo, 22h-24h na Tejo FM. Emissão online aqui.

sábado, março 18, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 320

Depois de uma emissão especial dedicada à nova música portuguesa, o Ruído Alternativo aponta baterias à actualidade rock e metal.

Este Domingo temos as novidades mais frescas das últimas duas semanas, muita nova música e ainda uma entrevista com os Awaiting The Vultures, que pode ser ouvida ao longo da emissão. A banda de Évora passou pelo Centro Cultural do Cartaxo e falou connosco sobre a sua carreira e o seu novo disco que se encontra em preparação. Tudo para ouvir ao longo de duas horas.

Em baixo deixamos alguns dos destaques deste programa. Juntem-se a nós!

1ª parte:

The Lemon Twigs | Paraguaii
Os Ekos | The Afghan Whigs

2ª parte:

Deep Purple | Pallbearer
Mastodon | Her Name Was Fire

Ruído Alternativo: Domingo, 22h-24h na Tejo FM. Emissão online aqui.

quinta-feira, março 16, 2017

Discurso Alternativo: Awaiting The Vultures

Este Domingo, 19 de Março, temos mais uma entrevista resgatada da última sessão das Cartaxo Sessions. No dia 25 de Fevereiro passaram pelo palco do Centro Cultural do Cartaxo os Awaiting The Vultures que também vão ser alvo de uma edição do Discurso Alternativo, depois das conversas com os CUT e a associação cultural Cartaxo Sessions.

Awaiting The Vultures formados por: David Espingardeiro, Xinês, Koro e João Ruivo (esq.-dir.)

Os Awaiting The Vultures nasceram em 2007 em Évora. A banda de post-metal é composta por David Espingardeiro (guitarra), Xinês (bateria) e Koro (baixo), estando actualmente a ser acompanhada por João Ruivo (guitarra). Em 2014 lançaram seu disco de estreia, Awaiting The Vultures, que teve duas edições esgotadas.

Depois de cerca de um ano sem concertos, fruto das mudanças na sua formação, o grupo regressou as espectáculos no Cartaxo. Actualmente preparam um segundo e novo disco, com saída prevista para o final deste ano e com um som "mais limpo" e "versátil", segundo os Awaiting The Vultures.

A entrevista com os Awaiting The Vultures pode ser ouvida ao longo do programa desta semana. Domingo, 19 de Março, a partir das 22h nos 102.9 FM ou na emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.

---

Na próxima semana colocaremos o podcast da entrevista completa, sem cortes nem intervalos, aqui no blog em Discurso Alternativo.

sábado, março 11, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 319

Para quem anda atento ao nosso blog, este Domingo há nova Emissão Especial: Nova Música Portuguesa - a quarta edição de 2017. Duas horas recheadas com produção nacional e espaço para uma conversa com a organização das Cartaxo Sessions.

Em baixo, deixamos algumas das bandas e artistas com presença marcada neste programa.

1ª parte:

The Twist Connection | Marvel Lima
Ditch Days | The Lemon Lovers

2ª parte:

It Was The Elf | Killadelphia
Pussywhips | Ash Is A Robot

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sexta-feira, março 10, 2017

Emissão Especial: Nova Música Portuguesa (2017/4)

Estamos quase a meio de Março e é com orgulho que anunciamos que este Domingo, 12 de Março, há espaço para mais uma Emissão Especial dedicada à nova música portuguesa.

Muito foi, e tem sido, o rock e o metal nacionais que nos tem chegado às mãos e, com falta de espaço para todas as bandas e artistas nacionais nas últimas emissões, reservamos o próximo programa ao som nacional. Muita música remonta a 2016, mas a actualidade da mesma não se perde apenas com dois meses e alguns dias de 2017 riscados do calendário.

E, como se isso não bastasse, pontuamos a emissão com uma conversa com a organização das Cartaxo Sessions (em Discurso Alternativo). A associação cultural do Cartaxo voltou este ano à acção e tem sido uma das mais importantes promotoras de concertos e do novo rock e metal nacionais em Portugal.

Em baixo deixamos os artistas e as bandas que vão passar por cá, num programa a não perder!
  • Alek Rein
  • Ash Is A Robot
  • Billy Lobster
  • Ditch Days
  • Earth Drive
  • Indian Zephyr
  • It Was The Elf
  • Killadelphia
  • Marvel Lima
  • MUAY
  • Not Enough
  • Pussywhips
  • Scars Of Babylon
  • SK6
  • Spill
  • The Lemon Lovers
  • The Machine Wolf
  • The Twist Connection
Tudo para ouvir este Domingo, a partir das 22 horas, nos 102.9 FM da Tejo FM para o Ribatejo ou via emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.

quinta-feira, março 09, 2017

Discurso Alternativo: Cartaxo Sessions

Na última sessão das Cartaxo Sessions, a 25 de Fevereiro, o Ruído Alternativo aproveitou para pôr a conversa em dia com a organização destes concertos mensais no Centro Cultural do Cartaxo (CCC). O passado, o presente e o futuro da associação numa entrevista para ouvir este Domingo, 12 de Março em Discurso Alternativo.

 

As Cartaxo Sessions nasceram pela mão de Nick Allport, britânico sediado em Porto de Muge, concelho do Cartaxo, que em 2011 fundou a associação depois de trazer os Ringo Deathstarr - banda que então estava em tour europeia com os The Smashing Pumpkins - ao CCC. Depois de várias sessões, que contaram com dezenas bandas internacionais e nacionais, surgiu [pelo meio] o Reverence Festival Valada, e desde Fevereiro de 2015 que não haviam sessões no Cartaxo.

No início deste ano o "irmão mais velho" do Reverence voltou, apostado em trazer ao Cartaxo mais bandas do universo do rock psicadélico, stoner, metal, indie e rock alternativo. A equipa está renovada, com: Ana Búzio, André Pita Groz, João Borislav, Jorge Pereira, Nick Allport e Vanessa Murteira Allport, e há a promessa de longevidade para os concertos mensais no CCC.

Nos camarins do CCC estiveram três elementos da associação (André, João e Jorge) que com o Ruído Alternativo conversaram um pouco sobre o processo e a organização interna das Cartaxo Sessions, sobre o Reverence e sobre o futuro da própria associação cultural. Tudo para ouvir ao longo do programa desta semana.

Domingo, 12 de Março, a partir das 22h nos 102.9 FM para o Ribatejo ou na emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.
---

Na próxima semana colocaremos o podcast do programa para audição aqui no blog, assim como toda a entrevista às Cartaxo Sessions, sem cortes nem intervalos, em Discurso Alternativo.

---

P.S:
Temos aguardado mais um Discurso Alternativo, para o programa da próxima semana, com os Awaiting The Vultures.

sábado, março 04, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 318

Chegou Março e com ele nova rodada de nova música rock e metal que vai inundar a antena da Tejo FM no final deste Domingo. Ruído Alternativo com duas horas recheadas de nova música e das notícias que marcam a actualidade, com espaço para um conversa com os CUT, em Discurso Alternativo. Em baixo deixamos algumas bandas e artistas com passagem garantida por cá:

1ª parte:

Marika Hackman | Riding Pânico
Ron Gallo | Spoon

2ª parte:

Royal Thunder | Me And That Man
Body Count | Gojira

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).