domingo, março 26, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 321

Chegados ao último Domingo do mês de Março, é altura do Ruído Alternativo trazer de volta à antena a rubrica Colecção RA, como é de resto habitual. Dois discos para ouvir do primeiro ao último segundo nesta emissão: na primeira parte comemoramos os 50 anos de The Velvet Underground & Nico e na segunda hora os 25 de Mutantes S.21 dos Mão Morta

(1967) The Velvet Underground & Nico - The Velvet Underground & Nico 

Em 1965 norte-americano Lou Reed (que já tinha iniciado experimentações no rock) e o galês John Cale (de formação clássica) juntam-se num projecto, a base Velvet Undergroud. Os músicos foram entrando até a formação ficar definida como Sterling Morrison e Moe Tucker. A estes juntou-se Andy Warhol, uma das peças chave para um grupo que através dos seus espectáculos multimédia pôde actuar pelos Estados Unidos das América e pelo Canadá. O artista foi ainda produtor do grupo (embora esta função traga sempre muitas dúvidas na hora de documentar o disco), manager e deu liberdade para que os Velvet pudessem criar sem limites. Sugeriu a entrada da cantora e modelo alemã Nico nalgumas canções que num primeiro momento trouxe mais público à sua música. Em 1967, com o disco de estreia nas lojas, começou o calvário: os críticos não ligaram ao álbum, as vendas foram quase nenhumas, as rádios recusavam-se a passar a música da banda, as revistas não colocavam anúncios sobre o disco e houve ainda quem pedisse dinheiro pela foto utilizada na contracapa do disco. The Velvet Underground & Nico só seria compreendido uma década mais tarde. E géneros como o art rock, o punk, o garage, o grunge, o shoegaze, o gótico, o indie ou a música alternativa muito devem a este trabalho. Este ano comemora meio século de vida e nós estamos cá para dizer que valeu bem a pena.
CM

--- 

(1992) Mão Morta - Mutantes S.21

Em Abril de 1992 os Mão Morta davam o primeiro concerto do ano, fazendo a primeira parte dos Jesus And Mary Chain em Lisboa. As circunstâncias desse espectáculo e o que já vinha para trás - o último disco da banda pouco tinha feito para manter os bracarenses no circuito de concertos - faziam desta uma fase delicada na vida do grupo. Adolfo Luxúria Canibal convence então o manager da banda, o dono da fábrica de malas e carteiras Fungui, a apostar num último álbum. Muito provavelmente, nenhuma das partes envolvidas estaria perto de imaginar que Mutantes S.21 perpetuaria os Mão Morta no panorama da música nacional até aos dias de hoje. A premissa era ambiciosa: fazer um álbum conceptual, o primeiro do grupo, que funcionasse como uma viagem ao submundo de várias cidades, começando naturalmente por "Lisboa" e logo com uma referência ao Casal Ventoso. Apesar de apresentar um som um pouco mais polido, era um registo com um conceito e as letras continuavam banhadas de sangue, álcool e Marxismo. Normalmente, não seria suficiente para resgatar os Mão Morta do underground, mas são convidados pela RTP para gravar um videoclip. A escolha recaiu em "Budapeste", cuja a alta rotação na TV levou os Mão Morta à rádio, com um airplay massivo. No rescaldo, os concertos começaram a chover e a lenda Mão Morta chegaria até à actualidade. Mutantes S.21 comemora em 2017 os 25 anos, data redonda que vai levar o álbum na integra a vários palcos nacionais.

AB

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sábado, março 25, 2017

Colecção RA: The Velvet Underground & Nico - The Velvet Underground & Nico (1967) & Mão Morta - Mutantes S.21 (1992)

Este Domingo, o último do mês de Março, o Ruído Alternativo regressa às emissões de Colecção RA com dois discos que comemoram este ano datas redondas de aniversário: 50 e 25 anos. Dois influentes trabalhos de épocas bem distintas que marcaram gerações, um a nível planetário e outro a nível nacional. The Velvet Underground & Nico de 1967 e Mutantes S.21 dos Mão Morta de 1992 em grande destaque no próximo programa.

---

Em 1982 Brian Eno, conhecido produtor e músico, por exemplo, dos Talking Heads, afirmava que nos primeiros anos o álbum de estreia dos The Velvet Underground & Nico, lançado em 1967, vendeu 30 mil cópias e que cada um que o comprou formou uma banda. Este é um dos comentários mais marcantes sobre um disco que precisou de cerca de dez anos para ser compreendido. Vendou pouco, não entrou se quer no top 100 dos mais vendidos nos Estados Unidos da América, foi banido de rádio e revistas, os críticos deixaram-no passar, mas o seu conteúdo, modernidade e o quebrar de fronteiras perdurou. No passado dia 12 de Março comemoraram-se os 50 anos sobre o seu lançamento e amanhã, Domingo, recordamo-lo no programa. Um dos maiores capítulos da história da música no Ruído Alternativo.

CM

The Velvet Underground & Nico

---

A maior banda de culto nacional. À sombra de Deus. Os Mão Morta serão sempre uma das maiores referências da chamada música moderna portuguesa, com um percurso sempre guiado pela poesia e pela vontade de fazer diferente. Apenas ao quarto álbum chegaram às massas, muito por causa do sucesso de "Budapeste (Sempre A Rock & Rollar)" - aquele que continua a ser o maior single da carreira dos bracarenses. Mutantes S.21 comemora ao longo de 2017 o seu 25º aniversário, com os Mão Morta a prometerem uma tour nacional para assinalar a efeméride. Recusaram revisitar o disco por revisitar - isso é algo que todos fazem, dizem - e levam a palco um espectáculo com uma grande componente visual, com base na banda desenhada que acompanhou uma das edições em vinil de Mutantes S.21. Para já, o concerto especial está confirmado para dois festivais nacionais - Paredes de Coura e Bons Sons - com Adolfo Luxúria Canibal e companhia a prometerem mais datas em breve. A música e história do disco passam pelo próximo Ruído Alternativo em modo Colecção RA.
AB


Mão Morta

---

Ruído Alternativo: Domingo, 22h-24h na Tejo FM. Emissão online aqui.

sábado, março 18, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 320

Depois de uma emissão especial dedicada à nova música portuguesa, o Ruído Alternativo aponta baterias à actualidade rock e metal.

Este Domingo temos as novidades mais frescas das últimas duas semanas, muita nova música e ainda uma entrevista com os Awaiting The Vultures, que pode ser ouvida ao longo da emissão. A banda de Évora passou pelo Centro Cultural do Cartaxo e falou connosco sobre a sua carreira e o seu novo disco que se encontra em preparação. Tudo para ouvir ao longo de duas horas.

Em baixo deixamos alguns dos destaques deste programa. Juntem-se a nós!

1ª parte:

The Lemon Twigs | Paraguaii
Os Ekos | The Afghan Whigs

2ª parte:

Deep Purple | Pallbearer
Mastodon | Her Name Was Fire

Ruído Alternativo: Domingo, 22h-24h na Tejo FM. Emissão online aqui.

quinta-feira, março 16, 2017

Discurso Alternativo: Awaiting The Vultures

Este Domingo, 19 de Março, temos mais uma entrevista resgatada da última sessão das Cartaxo Sessions. No dia 25 de Fevereiro passaram pelo palco do Centro Cultural do Cartaxo os Awaiting The Vultures que também vão ser alvo de uma edição do Discurso Alternativo, depois das conversas com os CUT e a associação cultural Cartaxo Sessions.

Awaiting The Vultures formados por: David Espingardeiro, Xinês, Koro e João Ruivo (esq.-dir.)

Os Awaiting The Vultures nasceram em 2007 em Évora. A banda de post-metal é composta por David Espingardeiro (guitarra), Xinês (bateria) e Koro (baixo), estando actualmente a ser acompanhada por João Ruivo (guitarra). Em 2014 lançaram seu disco de estreia, Awaiting The Vultures, que teve duas edições esgotadas.

Depois de cerca de um ano sem concertos, fruto das mudanças na sua formação, o grupo regressou as espectáculos no Cartaxo. Actualmente preparam um segundo e novo disco, com saída prevista para o final deste ano e com um som "mais limpo" e "versátil", segundo os Awaiting The Vultures.

A entrevista com os Awaiting The Vultures pode ser ouvida ao longo do programa desta semana. Domingo, 19 de Março, a partir das 22h nos 102.9 FM ou na emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.

---

Na próxima semana colocaremos o podcast da entrevista completa, sem cortes nem intervalos, aqui no blog em Discurso Alternativo.

sábado, março 11, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 319

Para quem anda atento ao nosso blog, este Domingo há nova Emissão Especial: Nova Música Portuguesa - a quarta edição de 2017. Duas horas recheadas com produção nacional e espaço para uma conversa com a organização das Cartaxo Sessions.

Em baixo, deixamos algumas das bandas e artistas com presença marcada neste programa.

1ª parte:

The Twist Connection | Marvel Lima
Ditch Days | The Lemon Lovers

2ª parte:

It Was The Elf | Killadelphia
Pussywhips | Ash Is A Robot

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sexta-feira, março 10, 2017

Emissão Especial: Nova Música Portuguesa (2017/4)

Estamos quase a meio de Março e é com orgulho que anunciamos que este Domingo, 12 de Março, há espaço para mais uma Emissão Especial dedicada à nova música portuguesa.

Muito foi, e tem sido, o rock e o metal nacionais que nos tem chegado às mãos e, com falta de espaço para todas as bandas e artistas nacionais nas últimas emissões, reservamos o próximo programa ao som nacional. Muita música remonta a 2016, mas a actualidade da mesma não se perde apenas com dois meses e alguns dias de 2017 riscados do calendário.

E, como se isso não bastasse, pontuamos a emissão com uma conversa com a organização das Cartaxo Sessions (em Discurso Alternativo). A associação cultural do Cartaxo voltou este ano à acção e tem sido uma das mais importantes promotoras de concertos e do novo rock e metal nacionais em Portugal.

Em baixo deixamos os artistas e as bandas que vão passar por cá, num programa a não perder!
  • Alek Rein
  • Ash Is A Robot
  • Billy Lobster
  • Ditch Days
  • Earth Drive
  • Indian Zephyr
  • It Was The Elf
  • Killadelphia
  • Marvel Lima
  • MUAY
  • Not Enough
  • Pussywhips
  • Scars Of Babylon
  • SK6
  • Spill
  • The Lemon Lovers
  • The Machine Wolf
  • The Twist Connection
Tudo para ouvir este Domingo, a partir das 22 horas, nos 102.9 FM da Tejo FM para o Ribatejo ou via emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.

quinta-feira, março 09, 2017

Discurso Alternativo: Cartaxo Sessions

Na última sessão das Cartaxo Sessions, a 25 de Fevereiro, o Ruído Alternativo aproveitou para pôr a conversa em dia com a organização destes concertos mensais no Centro Cultural do Cartaxo (CCC). O passado, o presente e o futuro da associação numa entrevista para ouvir este Domingo, 12 de Março em Discurso Alternativo.

 

As Cartaxo Sessions nasceram pela mão de Nick Allport, britânico sediado em Porto de Muge, concelho do Cartaxo, que em 2011 fundou a associação depois de trazer os Ringo Deathstarr - banda que então estava em tour europeia com os The Smashing Pumpkins - ao CCC. Depois de várias sessões, que contaram com dezenas bandas internacionais e nacionais, surgiu [pelo meio] o Reverence Festival Valada, e desde Fevereiro de 2015 que não haviam sessões no Cartaxo.

No início deste ano o "irmão mais velho" do Reverence voltou, apostado em trazer ao Cartaxo mais bandas do universo do rock psicadélico, stoner, metal, indie e rock alternativo. A equipa está renovada, com: Ana Búzio, André Pita Groz, João Borislav, Jorge Pereira, Nick Allport e Vanessa Murteira Allport, e há a promessa de longevidade para os concertos mensais no CCC.

Nos camarins do CCC estiveram três elementos da associação (André, João e Jorge) que com o Ruído Alternativo conversaram um pouco sobre o processo e a organização interna das Cartaxo Sessions, sobre o Reverence e sobre o futuro da própria associação cultural. Tudo para ouvir ao longo do programa desta semana.

Domingo, 12 de Março, a partir das 22h nos 102.9 FM para o Ribatejo ou na emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.
---

Na próxima semana colocaremos o podcast do programa para audição aqui no blog, assim como toda a entrevista às Cartaxo Sessions, sem cortes nem intervalos, em Discurso Alternativo.

---

P.S:
Temos aguardado mais um Discurso Alternativo, para o programa da próxima semana, com os Awaiting The Vultures.

sábado, março 04, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 318

Chegou Março e com ele nova rodada de nova música rock e metal que vai inundar a antena da Tejo FM no final deste Domingo. Ruído Alternativo com duas horas recheadas de nova música e das notícias que marcam a actualidade, com espaço para um conversa com os CUT, em Discurso Alternativo. Em baixo deixamos algumas bandas e artistas com passagem garantida por cá:

1ª parte:

Marika Hackman | Riding Pânico
Ron Gallo | Spoon

2ª parte:

Royal Thunder | Me And That Man
Body Count | Gojira

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

quinta-feira, março 02, 2017

Discurso Alternativo: CUT

Com o regresso das Cartaxo Sessions o Ruído Alternativo põe o gravador nas mãos e passa à conversa com as bandas que vão passando mensalmente pelo foyer do Centro Cultural do Cartaxo.

Os CUT foram uma das bandas que por lá actuou no passado dia 25 de Fevereiro, dia em que estivemos à conversa com estes nos camarins do espaço cultural cartaxense. Este Domingo estão em Discurso Alternativo na Tejo FM.

CUT formados por: Nuno Rodrigues, Nuno Marecos e João Lopes (esq.-dir.)

O CUT são uma banda formada em 2011. Divididos entre Almeirim e Santarém, o grupo é composto por Nuno Rodrigues (voz), João Lopes (guitarra) e Nuno Marecos (bateria). Começaram por apostar nas actuações ao vivo, deixando de parte os registos fonográficos em corte com o habitual percurso realizado pelas bandas de rock. Em concerto apostam nas experiências sensoriais e na força e peso de apenas dois instrumentos, a guitarra e a bateria de influência drone-stoner, com a apoio vocal grungy de Nuno Rodrigues (também dos W.A.K.O.).

Ao Ruído Alternativo a banda revelou que está para muito breve a sua entrada em estúdio, começando assim uma nova fase da sua carreira. Tudo para saber na entrevista aos CUT que pode ser ouvida ao longo do programa desta semana.

Domingo, 5 de Março, a partir das 22h nos 102.9 FM para o Ribatejo ou na emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.

---

Na próxima semana colocaremos o podcast do programa para audição aqui no blog, assim como toda a entrevista aos CUT, sem cortes nem intervalos, em Discurso Alternativo.

---
P.S:
Nas próximas emissões há mais Discurso Alternativo com os Awaiting The Vultures e a organização das Cartaxo Sessions.

domingo, fevereiro 26, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 317

Chegados ao final de Fevereiro, é altura do Ruído Alternativo fazer voltar ao éter a rubrica Colecção RA, como é apanágio desta casa. Dois discos para ouvir do primeiro ao último segundo nesta emissão: na primeira parte comemoramos os 40 anos de Marquee Moon dos Television e na segunda hora assinalamos o regresso dos Slayer  a Portugal, no dia 5 de Junho, com a escuta de Seasons In The Abyss

(1977) Television - Marquee Moon 

40 anos são uma vida e a estreia dos Television comemora este ano essa data redonda. Infelizmente, a grande maioria do público consumidor de música deixou-os ao esquecimento mas a crítica e as bandas que nasceram ao longo destas quatro décadas nunca deixaram de prestar a devida homenagem e de fazer uma vénia ao grupo ainda no activo. Formaram-se em 1973 em Nova Iorque e logo no início que mexeram com a cena que fervia nas ruas desta cidade norte-americana. A procura por novas linguagens que fossem contra o psicadelismo e o prog vigentes, cada vez mais virtuosos, foi o que fez nascer esta cena que conseguiu apelar e mover as massas, com especial atenção aos jovens que se sentiam cada vez mais alheados dessa realidade tecnicista e da própria realidade em si. Os Television apareceram sem ruído e com uma nova estética que, sublinhe-se, apareceu demasiado ceda na história da música [o que seria deles se tivesse lançado o disco em 1979/80?]. Comercialmente só tiveram resultados no lado europeu mas nem isso serviu de consolo para uma banda que terminou ao fim de dois discos, logo em 1978. Marquee Moon foi o primeiro a sair e é um dos objectos que mais contribuiu para a música independente e alternativa que surgiria nas décadas seguintes, desde o post-punk à new wave, até ao difícil-de-catalogar indie rock que hoje em dia ouvimos a cada esquina. Peça essencial para a compreensão da história da cultura pop, Marquee Moon é obra de Tom Verlaine, o senhor responsável por uma estética e por um culto. Agora somos nós quem faz a vénia.
CM

--- 

(1990) Slayer - Seasons In The Abyss

Em 1990 o thrash metal vivia o seu pico de popularidade, embora a passagem de testemunho para o grunge estivesse perto de acontecer. Os Slayer lançam nesse ano aquele que será um dos discos mais fortes da sua carreira, Seasons In The Abyss, sendo este o aprimorar de um som que vinha evoluindo desde 1983, demonstrando uma nova abordagem lírica. Logo aos primeiros discos, os Slayer tinham mostrado que não tinham nascido para ser convencionais: o disco de estreia, Show No Mercy (1983), é considerado por muitos como um rascunho do que viria a ser o death metal, enquanto podemos sentir a influência de Hell Awaits (1985) em muita da música extrema de hoje e Reign In Blood (1986) antecipou-se ao movimento crossover thrash ao aproximar-se do punk hardcore. Seasons In The Abyss não é um game changer como os exemplos acima referidos, mas antes o aprimorar do som dos Slayer em constante evolução. É nele que pela primeira vez fazem crítica social ao traçar um retrato negro da América daquela época, onde a corrupção e crueldade espreitavam a cada esquina. O disco fecha com chave de ouro a sequência dos primeiros cinco LPs dos Slayer, trazendo ainda a banda à MTV com os dois primeiros videoclips da sua carreira, para "War Ensemble" e "Seasons In The Abyss". Os ritmos implacáveis do thrash estavam finalmente em todo o lado...

AB

Ruído Alternativo: Domingo, 22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sexta-feira, fevereiro 24, 2017

Colecção RA: Television - "Marquee Moon" (1977) & Slayer - "Seasons In The Abyss" (1990)

Esta semana temos mais uma Colecção RA no Ruído Alternativo, com dois discos vindos dos Estados Unidos da América. O primeiro vem de Nova-Iorque, Marquee Moon, e foi lançado em 1977 pelos Television. O segundo é da Califórnia, Seasons In The Abyss, foi lançado em 1990  e pertence aos Slayer. O primeiro faz 40 anos, numa altura em que o punk de '77 é celebrado um pouco por todo o mundo, e o segundo marca o regresso dos Slayer a Portugal.

---

Na primeira parte deste programa vamos até à estreia dos Television. Em 1977 a banda nova-iorquina lançou o clássico e influente Marquee Moon. Este disco é considerado um dos mais influentes da era punk apresentando-se com uma música despida, guiada pelas guitarras mas limpa mais limpa que o punk e sem ruído. A banda é considerada uma das que mais contribuiu para o desenvolvimento do género que explodiu nessa década e da música alternativa. Aqui há espaço para a improvisação num grupo que se apresenta com influências do jazz e dos Velvet Underground. Nesta emissão faremos uma retrospectiva à sua carreira até aos dias de hoje, com destaque para este disco-marco e para aquilo que foi o seu contributo para o rock. A data é redonda, 40 anos, e não há como fugir do seu legado.

CM

Television

---

Os Slayer vão regressar este ano ao nosso país e é com esse mote que partimos para mais uma Colecção RA. A influência e importância da banda de Los Angeles estende-se do seu disco de estreia até aos dias de hoje, mas para esta emissão resgatamos o álbum Seasons In The Abyss de 1990. Nesta época o thrash metal preparava-se para entregar o posto de combate do hair metal ao grunge, mas antes os Slayer colocam nas lojas um dos trabalhos mais completos da sua carreira: aliando a agressividade de Reign In Blood (1986) aos compassos mais lentos de South Of Heaven (1988) e ainda uma componente lírica bem mais conectada com a realidade da época. Um disco para (re)descobrir no próximo Domingo à noite.

AB

Slayer

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sábado, fevereiro 18, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 316

Mais uma semana que chega ao fim com o Ruído Alternativo em cima de todas as notícias e música nova do universo rock e metal com uma emissão dedicada à actualidade. Em baixo, algumas das bandas e artistas que marcam presença no programa de amanhã à noite.

1ª parte:

Fufanu | Mr. Gallini
VANT The Undergrund Youth


2ª parte:

CUT | Overkill
All Them Witches | Crowbar

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sábado, fevereiro 11, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 315

O Ruído Alternativo está de volta às emissões de actualidade rock e metal. Este Domingo temos duas horas recheadas de música nova, música em memória de quem morreu e todas as notícias das últimas que importam saber! Em baixo, algumas das bandas e artistas que marcam presença na emissão.

1ª parte:

Foxygen | Elastica
Cherry Glazerr | The Jesus And Mary Chain


2ª parte:

Black Sabbath | Sepultura
The Hellacopters | Kreator

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sábado, fevereiro 04, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 314

Tal como prometido, o Ruído Alternativo regressa esta semana às emissões especiais dedicadas ao novo rock e metal nacionais. Graças à música que nos têm enviado, a nova música portuguesa com guitarras é algo que não vai faltar por aqui nos próximos tempos. Deixamos em baixo alguns dos nomes que passam por esta vindoura emissão:

1ª parte:


The Blue Drones | Indian Zephyr 
Memória De Peixe | Rapaz Ego

2ª parte:

Griot Toxikull
Twin Transistors | Push!

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

quinta-feira, fevereiro 02, 2017

Emissão Especial: Nova Música Portuguesa (2017/3)

Este Domingo o Ruído Alternativo regressa às emissões especiais dedicadas à música nacional. É muita a música que nos tem chegado às mãos nos últimos tempos e este é mais um programa a não perder! O rock e o metal nacional ficam a cargo destas bandas e artistas:
  • Billy Lobster
  • Ghost Hunt
  • Griot
  • Indian Zephyr
  • José Camilo 
  • Los Negros
  • Luz Laranja
  • Memória De Peixe
  • Mighty Sands
  • My Master The Sun
  • Névoa 
  • Nice Weather For Ducks
  • Planeta Quadrado
  • Push!
  • Rapaz Ego
  • Spill
  • Systemik Viølence
  • The Blue Drones
  • The Dirty Coal Train
  • The Miami Flu
  • Toxikull
  • Twin Transistors
  • Um Corpo Estranho
  • Wangari
  • Xeque-Mate  

Tudo para conferir este Domingo, a partir das 22 horas, nos 102.9 FM da Tejo FM para o Ribatejo, via emissão online em tejoradiojornal.pt.

sábado, janeiro 28, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 313

Amanhã o Ruído Alternativo faz regressar a rubrica de final de mês Colecção RA. Um programa no qual ouvimos duas influentes bandas que anunciaram concertos em Portugal. Aproveitamos assim para fazer ouvir e conhcer um pouco melhor Relationship Of Command (2000) dos At The Drive-In e Deep Purple In Rock (1970) dos Deep Purple, sobre os quais também falamos em baixo:


(2000) At The Drive-In - Relationship Of Command

Uma das mais importantes bandas do movimento post-hardcore tem concerto marcado para Portugal e aproveitamos a oportunidade, este Domingo, para invadir a sua história e ouvir aquele que é considerado o seu melhor disco. Para além de ser um dos discos da década, Relationship Of Command, o terceiro disco do At The Drive-In, é o resultado aprimorado do seu som que cresceu a pulso na cena underground dos Estados Unidos da América. A melodia e a agressividade andam de mãos dada num disco onde a lírica surreal e a explosão sonora são uma constante. "One Armed Scissor" é «o» tema deste disco que o alavancou para o sucesso e a banda para o mainstream. O álbum tem ainda outros motivos que merecem uma escuta atenta: a realidade à volta do grupo, a mistura de vários ambientes sonoros, uma melhor produção e ainda Iggy Pop como convidado de luxo, entre outras razões. Ficaram na história recente do rock mas várias circunstâncias, entre droga, acidentes, mudanças na formação, direções artísticas dispares e concertos demasiado violentos, deram o pontapé para um fim precoce. Foi no pico da sua popularidade que os At The Drive-In desistiram de continuar, não gozando o sucesso alcançado. O regresso, no ano passado, assenta-lhes muito bem.

CM

---

(1970) Deep Purple - Deep Purple In Rock

Em 1969 os Deep Purple tinham pouco mais que uma mão cheia de nada. Com três discos na bagagem apenas tinham conseguido um sucesso residual dos Estados Unidos com o single "Hush" - uma versão para o tema de Joe South. Na sua Inglaterra natal eram perfeitos desconhecidos. Ritchie Blackmore, John Lord e Ian Paice decidem então deixar os covers e avançar para um som mais pesado, substituindo no processo o vocalista e o baixista. Com as entradas de Ian Gillan e Roger Glover estava formada a famosa Mk2 que viria a conquistar o mundo na primeira metade dos anos 70. O primeiro capítulo dessa cruzada por este novo rock barulhento foi Deep Purple In Rock de 1970, o disco de "Speed King" e "Child In Time", que foi ainda impulsionado por um tema que não chegou a entrar no alinhamento, "Black Night". Entrou, com Led Zeppelin II dos Led Zeppelin e Paranoid dos Black Sabbath, na tríade de 1970 que colocou o termo heavy metal no léxico musical. O som trazia uma nova abordagem e as letras acompanhavam a evolução, falando de problemas reais da época como a guerra do Vietname. Tudo aconteceu sem romper com o legado deixado pelos primeiros nomes do rock 'n' roll, fazendo a homenagem a Elvis Presley e Little Richard logo no tema que abre o disco, "Speed King". Deep Purple In Rock foi um divisor de águas na evolução da música de guitarras e um disco que, naturalmente, merece ser revisitado nesta emissão, lembrando ainda que a versão actual da banda regressa este ano a Portugal.

AB

Ruído Alternativo: Domingo, 22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

Colecção RA: At The Drive-In - "Relationship Of Command" (2000) & Deep Purple - "Deep Purple In Rock" (1970)

Estamos a chegar ao último Domingo do mês e, como mandam as regras da casa, damos espaço à rubrica Colecção RA - a primeira edição de 2017. Duas bandas históricas de períodos bem diferentes, que este ano actuam em Portugal, passam pelo próximo Ruído Alternativo. Relationship Of Command (2000) dos At The Drive-In e Deep Purple In Rock (1970) dos Deep Purple serão assim as estrelas desta emissão.

---
Este Domingo ouvimos o melhor disco de uma das mais importantes bandas do post-hardcore, os At The Drive-In. Este ano o grupo de El Paso (Texas) dá vários motivos para celebrar de novo a música que deu a conhecer ao mundo os nomes: Cedric Bixler-Zavala, Jim Ward, Omar Rodríguez-López, Paul Hinojos e Tony Hajjar. O regresso foi anunciado em 2015, este aconteceu em 2016 (com nova música e tudo), e em 2017 há a expectativa de novo disco (o primeiro em 17 anos) e está confirmado ainda um concerto em Portugal. A banda de Relationship Of Command (2000) actua entre os dias 16 e 19 de Agosto no Festival Paredes de Coura, no Minho. Sejam de novo bem-vindos!


CM
At The Drive-In

---

As palavras são sempre escassas para descrever a importância dos Deep Purple no mundo do rock. Ironicamente até ficaram conhecidos por um dos temas musicalmente mais simples que compuseram, mas chega a ser injusto que meio mundo só conheça do catálogo da banda "Smoke On The Water". Ao longo dos anos 70 os Deep Purple deixaram-nos bem mais que isso: uma abordagem bem mais pesada ao rock, no que se tornaria a semente para o heavy metal. Apesar dos membros do grupo negarem a paternidade, não é por acaso que foram considerados a banda mais barulhenta da primeira metade da década de 1970. Enfim, os Deep Purple são uma das mais lendárias bandas de rock e, apesar de todas as desavenças e contrariedades, continuam a pisar palcos pelo mundo fora. A The Long Goodbye Tour passa pela MEO Arena em Lisboa a 4 de Julho e assinalamos este vindouro concerto com o álbum que deu origem a tudo: Deep Purple In Rock de 1970. Se esta será mesmo a última tour do quinteto ninguém sabe, mas vale a pena reservar lugar e ter oportunidade de ver em acção uma banda tão influente.

AB


Deep Purple

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).