terça-feira, agosto 01, 2017

Informação: Fecho Da Temporada 2016/2017

E chegou a hora do Ruído Alternativo ir de férias...

Foram mais 11 meses de Domingos regados a rock e a metal na Tejo FM e, como tem sido sempre habitual por aqui, com a chegada Agosto paramos para recuperar forças e, também, fazer balanços. No entanto, para aqueles que queiram continuar a ouvir os nossos programas, nada como clicar aqui para relembrar todas as nossas emissões em podcast.

Ao longo deste mês, continuamos por aí, com destaque para os concertos com o apoio do Ruído Alternativo que podem ser consultados na nossa agenda, na barra lateral direita do blog.

Às bandas nacionais, voltamos a fazer o apelo: enviem-nos a vossa música que temos sempre uma resposta para todas. E, como poderão ouvir em podcast ou consultar aqui, 2017 tem sido um ano em cheio para a música de produção lusa no Ruído. Toda informação necessária para nos fazerem chegar a vossa música pode ser acedida aqui.

Deixamos mais uma vez um agradecimento à Tejo FM e à sua direcção pela contínua aposta nestes dois rapazes que divulgam o rock e o metal, e aos nossos ouvintes e amigos um enorme agradecimento pelo apoio prestado.

Quanto ao nosso regresso: ainda não temos uma data específica para o mesmo, mas este será avisado atempadamente aqui no blog e nas redes sociais. Este deverá acontecer em Setembro, altura em que comemoramos uns bonitos nove anos de Ruído Alternativo!

Ah!... E preparem-se para uma temporada 2017/2018 em cheio, com destaque para 2018 e os vindouros 10 anos de Ruído Alternativo!

Por último, o Ruído Alternativo está presente em várias plataformas e para ficarem a par de todas as novidades basta seguir estes links:
Até ao nosso regresso fiquem na companhia da melhor música.
Boas Audições!
A equipa,
Ruído Alternativo
ruido-alternativo@hotmail.com
André Beda e Carlos Montês

sábado, julho 29, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 339

Domingo está aí à porta e como prometido temos preparado um Ruído Alternativo em cheio! Mais uma Emissão Especial dedicada à nova música portuguesa, com duas horas de muito rock e metal nacionais, num programa que também marca o final esta temporada. Fica, no entanto, a promessa de voltar em força em Setembro! 

Conheçam, em baixo, alguns dos destaques deste programa:

1ª parte:

Panado | Moda Americana
Ganso | Quadra

2ª parte:

Evols Papaya
Slimmy | Icarus

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

quinta-feira, julho 27, 2017

Emissão Especial: Nova Música Portuguesa (2017/8)

O Ruído Alternativo vai de férias, como acontece todos os anos no mês de Agosto, mas antes deixamos no ar uma Emissão Especial dedicada à nova música portuguesa.

Muito tem sido, o rock e o metal nacionais que nos tem chegado às mãos ao longo deste ano e nada melhor que fazer as despedidas num programa dedicado ao som nacional. Resta apenas deixar a promessa que o programa voltará algures em Setembro de 2017.

Em baixo deixamos os artistas e as bandas que vão passar por cá, num programa a não perder:

  • Bom Marido
  • Cave Story
  • Electric Man
  • Evols
  • Flying Cages
  • Ganso
  • Georege Marvinson
  • Icarus
  • João Nada
  • Lonthra
  • Minta & The Book Trout
  • Moda Americana
  • Moonlit Align
  • Panado
  • Papaya
  • Quadra
  • Rosemary Baby
  • Slimmy
  • The Black Zebra
  • The Happ Mess
  • The Partisan Seed
  • The Town Bar
  • This Penguin Can Fly
  • Time For T
  • Tropea
  • Vaarwell
  • ZARCO


Tudo para ouvir este Domingo, a partir das 22 horas, nos 102.9 FM da Tejo FM para o Ribatejo ou via emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.

sábado, julho 22, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 338

Domingo antecipamos a Colecção RA, habitual rubrica de final de mês aqui no Ruído Alternativo, para abrir espaço a uma emissão especial que fechará esta temporada. Mais dois discos a juntar à colecção por motivos bem distintos: na primeira parte celebramos os 15 anos de Turn On The Bright Lights, o álbum de estreia dos Interpol, de 2002, e na segunda parte homenageamos o malogrado Chester Bennington com Hybrid Theory, de 2000, dos Linkin Park.

---

(2002) Interpol - Turn On The Bright Lights


Formados em 1997, os Interpol demoraram cinco anos até se apresentarem ao mundo com um primeiro longa-duração. Cedo tiveram boas casas quando subiam aos palcos, mas o seu som até foi tendo mais repercussão no Reino Unido do que na sua terra natal, os Estados Unidos da América. No início de 2002 a Matador Records assinou com os nova-iorquinos e em Junho o grupo lançou um EP, em homónimo, sendo que dois meses depois o álbum de estreia, Turn On The Bright Lights, estava nas lojas. O sucesso que os Interpol tinham no Reino Unido, um pouco mais expansivo do que nos E.U.A., era desde logo compreensível: a banda tinha pegado nas referências britânicas da década de 80, como Joy Division ou The Chameleons, e juntou-lhes o seu próprio cunho: com mais produção, mais teatralidade e um je ne sais quoi mais luxuoso; e muitos poucos, muito poucos mesmo, foram aqueles que não gostaram deste revivalismo do post-punk como marcaria a primeira década do século XXI. E a juntar aos enormes aplausos que a estreia dos Interpol teve - cujo o sucesso comercial só teria consequências ao segundo disco -, a banda trouxe ainda à baila uma nova imagem para uma Nova Iorque que renascia do 11 de Setembro de 2001, ajudava a catapultar mais uma nova cena na cidade que não dorme, fazia parte do novo indie rock que chegava ao mainstream, ao lado dos The Strokes e outros grupos, e ainda transformaram-se numa referência para muitas bandas deste novo milénio. Ian Curtis certamente que ficaria orgulhoso com o legado que deixou - oiça-se "Obstacle 1", "NYC", "PDA" ou "Say Hello To The Angels". E já passam 15 anos.

CM

---

(2000) Linkin Park - Hybrid Theory

Aquando da morte de Chris Cornell, Chester Bennington foi das figuras mais ouvidas e devastadas com o desaparecimento do frontman dos Soundgarden, tendo cantado e discursado emocionalmente no seu funeral. Estávamos longe de imaginar que passados pouco mais de dois meses iríamos estar aqui a falar da morte do próprio Bennington, um suicídio em tudo semelhante ao de Cornell e no dia em que este último faria 53 anos. Como Cornell, também Chester Bennington deixa um legado com um dos símbolos de uma certa geração - aquela que se seguiu à que idolatrou Chris Cornell e a geração grunge. Goste-se ou não - e não é por acaso que os Linkin Park só chegam ao Ruído Alternativo passados quase 9 anos de emissões - a verdade é que a banda californiana foi responsável, pelo menos até determinado momento, por manter as guitarras e o rock nos ouvidos das massas. Os que ainda não se tinham deixado seduzir pelos sons de Rage Against The Machine, Korn ou Limp Bizkit, encontravam em Hybrid Theory o derradeiro casamento entre hip hop e rock pesado. Agora sim, era possível ver miúdos das duas facções juntos em concertos dos Linkin Park. As letras, que carregavam como nunca angustias próprias da juventude, era a ponte final entre a banda e o seu público. Um disco para ouvir e entender melhor na próxima emissão,

AB

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sexta-feira, julho 21, 2017

Colecção RA: Interpol - "Turn On The Bright Lights" (2002) & Linkin Park - "Hybrid Theory" (2000)

Este é o último mês da temporada 2017/2018 para o Ruído Alternativo na Tejo FM e como a época termina, para a semana damos espaço a uma Emissão Especial, adiantando, assim, a rubrica que normalmente fecha todos os mês de emissões, a Colecção RA.

Temos assim mais um programa com dois discos a colocar na vossa colecção: Turn On The Bright Lights (2002) dos Interpol e Hybrid Theory (2000) dos Linkin Park.


---

Foi em 2002 que os Interpol se deram a conhecer ao mundo com o seu post-punk. E 15 anos depois este continua a ser um dos discos mais importantes do século XXI. Em 2012, na altura do seu 10.º aniversário, o grupo nova-iorquino já tinha reeditado este Turn On The Bright Lights numa versão remasterizada que trouxe demos, canções bónus e ainda um DVD com performances ao vivo e videoclips; este ano a banda optou por tocar o disco na sua totalidade. Tudo está a acontecer numa tour mundial, ainda sem datas para Portugal, que para os fãs nacionais dos Interpol implicará uma viagem até Espanha: em Barcelona, a 8 de Setembro, ou em Madrid, no dia seguinte. Mas no Ruído Alternativo as velas são apagadas já este Domingo.

CM

Interpol

---

Muita coisa se disse em antecipação ao ano de 2000. Iria o planeta explodir? Iria Portugal ganhar o Euro 2000? Nada disso aconteceu, mas no último trimestre do ano começava a formar-se outro tipo de fenómeno. Em Outubro os Linkin Park lançavam Hybrid Therory - uma estreia em LP que tinha quase meia década de trabalho por trás. O fenómeno de vendas e popularidade atingiu números que dificilmente serão repetidos no futuro: nos primeiros 12 meses nas lojas o álbum vendeu quase 5 milhões de cópias - sendo o disco mais vendido de 2001 - e até hoje vendeu algo em torno dos 30 milhões de discos em todo o mundo. Os segredos do sucesso são vários: os Linkin Park falaram ao ouvido dos adolescentes com letras carregadas de angustia juvenil e referências a solidão e relações falhadas - tudo num invólucro sónico que agarrou as massas. O vocalista Chester Bennington tornou-se ontem na mais recente estrela do rock a cair e dedicamos-lhe a segunda parte da próxima Colecção RA.   

AB


Linkin Park

---

Ruído AlternativoDomingo, 22h-24h na Tejo FM. Emissão online aqui.

sábado, julho 15, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 337

Esta semana o Ruído Alternativo traz à antena dTejo FM a última emissão de actualidade desta temporada. Este Domingo damos conta de todas novidades e notícias das últimas semanas, sendo que o prato forte destes programas é sempre a música nova. A não perder ainda duas entrevistas com as bandas que actuaram na última noite de Festival Nascente em Rio Maior: Pega Monstro e Trauma Lips.

Em baixo deixamos algumas das bandas e artistas com passagem assegurada nesta emissão:

1ª parte:

Duke Garwood | Beach Fossils
Wolf Alice | Nine Inch Nails

2ª parte:

Arch Enemy | Comeback Kid
Paradise Lost | The Picturebooks

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sexta-feira, julho 14, 2017

Discurso Alternativo: Trauma Lips

No passado dia 17 de Junho aconteceu na Casa do Povo de Rio Maior mais uma edição do Festival Nascente 2017. Os concertos dessa quentíssima noite estiveram a cargo dos Trauma Lips e das Pega Monstro.

Ruído Alternativo foi até lá na hora do soundcheck e entrevistou os rockers da noite, em duas entrevistas para ouvir no programa do próximo Domingo, dia 16 de Julho.

Trauma Lips

Os Trauma Lips são um trio de Lisboa formado recentemente  e composto por Pedro Lourenço (voz e guitarra), Inês Vicente (baixo) e Emanuel Severino (bateria).

Juntaram-se pela primeira vez em Dezembro do ano passado e já lançaram o mini EP Made In China - um trabalho com apenas dois temas que mostram os territórios em que a banda se move: o rock clássico, infectado com punk, stoner e indie.


Com o Ruído Alternativo os Trauma Lips falaram sobre os primeiros (e seguros) passos do grupo, da origem dos temas "Renegade (Kick In The Eye)" e "Hole In The Dark" e do que têm em vista para o futuro mais próximo. Revelaram ainda a possibilidade de gravar mais um trabalho ainda este ano.

Tudo isto para ouvir numa entrevista que vai para o ar no programa desta semana: Domingo, 16 de Julho, a partir das 22h nos 102.9 FM para o Ribatejo ou na emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.
---

Na próxima semana colocaremos o podcast desta entrevista completa, sem cortes nem intervalos, aqui no blog em Discurso Alternativo.

quinta-feira, julho 13, 2017

Discurso Alternativo: Pega Monstro

No passado dia 17 de Junho aconteceu na Casa do Povo de Rio Maior mais uma edição do Festival Nascente 2017. Os concertos dessa quentíssima noite estiveram a cargo das Pega Monstro e dos Trauma Lips.

Ruído Alternativo foi até lá, na hora do soundcheck, e entrevistou os rockers da noite, em duas entrevistas para ouvir no programa do próximo Domingo, dia 16 de Julho.

Pega Monstro

As Pega Montro são um duo lisboeta formado em 2010 pelas as irmãs Maria (voz, guitarra e teclados) e Júlia Reis (bateria e voz).

A banda já lançou três LPs, o último dos quais Casa De Cima, editado este ano e que está a dar que falar entre a imprensa escrita, com esta a destacar e a elogiar a atenção das Pega Monstro à música e cultura portuguesas do passado. O disco é uma edição e produção conjunta da editora londrina Upset The Rythm e da Cafetra.


Com o Ruído Alternativo as Pega Monstro falaram acima de tudo acerca deste novo Casa De Cima e da suposta mudança de rumo em direcção à música popular, esclarecendo nas suas próprias palavras o que a imprensa anda a dizer sobre o disco. Grande foque ainda no processo de criação e gravação dos novos temas e na relação próxima do duo com o músico B Fachada.

Tudo isto para ouvir numa entrevista que vai para o ar no programa desta semana: Domingo, 16 de Julho, a partir das 22h nos 102.9 FM para o Ribatejo ou na emissão online para todo o mundo em tejoradiojornal.pt.
---

Na próxima semana colocaremos o podcast desta entrevista completa, sem cortes nem intervalos, aqui no blog em Discurso Alternativo.

sábado, julho 08, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 336

Domingo está aí à porta e como prometido temos preparado um Ruído Alternativo em cheio! Mais uma Emissão Especial dedicada à nova música portuguesa, com duas horas de muito rock e metal nacionais! Conheçam, em baixo, alguns dos destaques deste programa:

1ª parte:

Trêsporcento | Them Flying Monkeys
Ra-Fa-El | Manuel Fúria & Os Náufragos

2ª parte:

All Against West Grave
Backflip | Montalvor

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sexta-feira, julho 07, 2017

Emissão Especial: Nova Música Portuguesa (2017/7)

Esta semana o Ruído Alternativo atira-se para mais duas horas dedicadas ao rock e metal nacionais e este Domingo, 9 de Julho, chega à antena da Tejo FM com mais uma mão cheia de boa música feita em solo nacional.

Em baixo ficam alguns dos nomes que vão passar nesta Emissão Especial:

  • AbzatraQT Sir Q
  • Adamantine
  • All Against
  • Backflip
  • Blame Zeus
  • Blaze & The Stars
  • Cabaça Turquesa
  • Cryptor Morbious Family
  • Duquesa
  • First Breath After Coma
  • Jackie D.
  • Manuel Fúria & Os Náufragos
  • Marvel Lima
  • Modo Mudo
  • Montalvor
  • oLUDO
  • Ra-Fa-El
  • The Electronics
  • The Machine Wolf
  • Them Flying Monkeys
  • Toulouse
  • Trêsporcento
  • Vulpus
  • West Grave


Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sábado, julho 01, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 335

Esta semana o Ruído Alternativo está de regresso às emissões de actualidade rock e metal na Tejo FM. Este Domingo damos conta de todas novidades e notícias das últimas semanas, sendo que o prato forte destes programas é sempre a música nova. Um programa a não perder!

Em baixo deixamos algumas das bandas e artistas com passagem assegurada nesta emissão.

1ª parte:

The Afghan Whigs | The Vacant Lots
Yeah Yeah Yeahs | Devil's Witches

2ª parte:


Unsane | Fireball Ministry
Her Name Was Fire | Chelsea Wolfe

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

sábado, junho 24, 2017

Antevisão/Destaques: Programa 334

'Mil nove e noventa e sete'. O grunge estava a moribundo e o metal procurava novas saídas, com o nu metal aí porta. No entanto, houve quem experimentasse como nunca. Este Domingo, o Ruído Alternativo faz o voo até esse ano e repesca dois discos que marcaram duas facções, o rock alternativo e o metal: um trabalho que mostrou que os Radiohead eram bem mais que uma "Creep", e uns Paradise Lost à frente do seu tempo que não tiveram medos em experimentar. Falamos de OK Computer e One Second, ambos de 1997, que este Domingo merecem a nossa atenção em Colecção RA!

---


(1997) Radiohead - OK Computer 

O passado deles não foi fácil. Depois de formados em Inglaterra em 1985, só em 1993 é que os Radiohead lançaram o seu primeiro álbum. No entanto, houveram uns visionários que, apenas com uma demo do grupo, decidiram assinar um contrato com a banda - e logo para seis discos! Falamos na EMI que apenas pediu que a banda alterasse de nome - antes eram conhecidos por On A Friday -, e, com o tempo, trouxeram ao mundo um dos projectos mais desafiadores da música actual. Pablo Honey nunca convenceu, mas lá foi vendendo, mesmo com a "Creep" a fazer chorar o maior dos durões - culpas para a MTV; The Bends mostrou que afinal estes não eram um grupo de one-hit wonders, com quatro singles certeiros e incontornáveis e um som próprio; mas foi com OK Computer que a imprensa "se calou", depois de um dia os ter chamado de demasiado cobardes para serem uma banda de rock. A verdade é que o rock até ficou num plano secundário com este disco, mas as experiências e o atrevimento valeram aos Radiohead a imortalidade. Gravado, essencialmente, numa casa nobre inglesa do século XVI, este trabalho sem fórmulas chegou a número um no Reino Unido - o primeiro dos britânicos - e conseguiu a posição mais alta nas tabelas norte-americanas; e a partir daqui a banda nunca mais foi a mesma. Está aqui um estrondoso disco de uma banda que chegou aos grandes e nunca mais de lá saiu, sem nunca se vergar aos jogos desta indústria.
CM

--- 

(1997) Paradise Lost - One Second

Se em 1997 houve quem pensasse que One Second era uma mudança radical no som dos Paradise Lost, o que diriam se soubessem que este era apenas a ponta do iceberg da revolução musical no seio da banda? Vindos de dois discos clássicos e que definiram o som do metal gótico - Icon (1993) e Draconian Times (1995) - os britânicos operam uma viragem em direcção ao rock gótico guiado por sintetizadores e, por vezes, muito próximo da synth pop. Com alguns dos membros da banda com o cabelo cortado e com um som impregnado de elementos electrónicos, começavam em 1997, e com One Second, as comparações com os Depeche Mode. Um passo arriscado para uma banda que tinha acabado de se estabelecer na cena heavy metal, mas que até faz todo o sentido quando olhamos à evolução do som dos Paradise Lost: death metal nos primeiros lançamentos e uma crescente e constante suavização de vozes e guitarras de disco para disco. Quem não arrisca não petisca, diz a sabedoria popular. A partir de One Second, o grupo começa a ser presença assídua em rádio e televisão - basta lembrar que até há bem pouco tempo a única forma de ver o videoclip de "Say Just Words" no YouTube era através de uma gravação do nosso saudoso Sol Música. Para quem pensou que One Second era uma mudança demasiado radical, deve ter sido difícil ver os Paradise Lost entrar pela electrónica a dentro em Host (1999) e de ver que Belive In Nothing (2001) e Symbol Of Life (2002) tinham um som semelhante ao primeiro. Uma fase que tem tanto de rica como curiosa e que revisitamos no próximo programa.

AB

Ruído AlternativoDomingo22h-24h na Tejo FM (emissão online aqui).

Colecção RA: Radiohead - "OK Computer" (1997) & Paradise Lost - "One Second" (1997)

No próximo Domingo o Ruído Alternativo regressa às emissões de Colecção RA. Em destaque estão dois discos britânicos que comemoram este ano o 20º aniversário do seu lançamento. Preparem-se assim para uma emissão guiada pelos sons de OK Computer dos Radiohead e One Second dos Paradise Lost - ambos lançados em 1997. 

--- 

20 anos... e parece que foi ontem que os Radiohead deram "uma chapada" ao mundo da música. Decidiram fazer música menos óbvia e lançaram aquele que é o seu maior disco, com estruturas musicais diferentes, sem ser guiado pelas guitarras e com incursões em tantos géneros que, se os escrevessemos aqui, nunca mais acabaríamos a lista. OK Computer saiu em 1997 e esta sexta-feira, 23 de Junho, voltou às lojas todo bonitinho. OKNOTOK é o nome desta edição que inclui a remasterização do alinhamento original do disco, oito lados B e três músicas nunca antes editadas, "I Promise", "Man Of War" e "Lift". Para além disto há uma série de extras que vão desde um livro com as notas de Thom Yorke até uma cassete com demos e as sessões de gravação de OK Computer. O motivo para o recuperarmos no Ruído Alternativo é simples: a obra-prima dos Radiohead completa duas décadas e é tão inovador e tão bom como quando saiu.

CM

Radiohead

---

Na segunda parte da próxima edição da rubrica Colecção RA trazemos um disco bem menos consensual do que OK Computer. Os Paradise Lost são hoje conhecidos por terem uma carreira camaleónica, mas quando lançaram One Second, em 1997, muitos foram os que ficaram chocados. O tempo vem provar que tomaram o rumo certo: o álbum não afastou assim tanto público e até trouxe aos seus concertos uma legião de fãs vindos da facção mais alternativa do rock: gótico, synth pop e new wave à cabeça. Começava aqui uma fase experimental para a banda de Halifax que os levou até 2001 e que, apesar da desconfiança de muitos na época, é hoje vista como um momento delicioso da história de uma banda que tinha raízes na vertente mais extrema do metal. Um registo marcante com reedição à vista para ouvir e conhecer melhor no próximo Ruído Alternativo.

AB

Paradise Lost

---

Ruído AlternativoDomingo, 22h-24h na Tejo FM. Emissão online aqui.